Ação de professora quer formar comunidades leitoras fora da escola
Natal, RN 26 de mai 2024

Ação de professora quer formar comunidades leitoras fora da escola

1 de maio de 2024
5min
Ação de professora quer formar comunidades leitoras fora da escola
Imagem: Leitores em Cena.

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Fomentar a leitura, de modo a formar comunidades leitoras fora dos espaços escolares. É com esse objetivo que surge o projeto “Leitores em Cena”, coordenado pela professora Isaura Brandão e vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Brandão é professora no Núcleo de Educação da Infância (NEI), escola de aplicação da UFRN, e vice-presidenta do Sindicato dos Docentes da UFRN (Adurn). Com um trabalho voltado aos direitos humanos, ela criou o projeto Leitores em Cena, aprovado pela Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) da UFRN neste ano e que conta com parceria da Cooperativa Cultural, sediada na UFRN, onde turmas de crianças do NEI se reúnem mensalmente, quando Brandão realiza leitura para os estudantes e discute com eles as obras literárias selecionadas.

“É um espaço não escolar, porque muitas crianças não têm acesso a uma livraria, por exemplo”, explica a professora.

A ideia surge com o interesse por literatura, leitura e formação do leitor. No mestrado, Brandão estudou a leitura de literatura para crianças, numa perspectiva voltada para o feminismo, as desconstruções do gênero e o respeito pelas diferenças.

Dentre os objetivos do Leitores em Cena, está a perspectiva de trazer obras literárias que discutem aspectos mais voltados para o respeito ao outro, os direitos humanos e a construção de uma sociedade mais humanitária.

“Inclusive com relação ao respeito à diversidade, ao trabalho das mulheres, aos direitos humanos. Então quando a gente vai ler para as crianças, prioriza sempre livros que trazem a discussão nesse sentido. Que a gente consiga, por exemplo, desconstruir que determinadas coisas são feitas apenas para meninos e não para meninas. Ou que toda menina precisa ser exatamente aquela princesa dos contos de fadas, pois se não for, ela entra numa caixinha e fica fora à parte”, ressalta Brandão.

A metodologia utilizada é a Andaimagem, explica a professora.“Que não é apenas ler: é ler e discutir a obra, porque quando a gente discute a obra, faz com que o leitor amplie os horizontes. E essa é a nossa perspectiva: que esses pequenos leitores, a partir dessas obras literárias e de tantas outras, possam ampliar seus horizontes, suas percepções de vida e não aceitar como dada aquela realidade, sem minimamente questionar”, pontua. “Essa metodologia foi uma forma que a gente encontrou de ter, inclusive, essa resposta devolutiva das crianças. A discussão é o que faz com que a gente pense”.

Três modos de atuação

Além da leitura de obras literárias para as crianças do NEI, o Leitores em Cena possui outras duas vertentes: a produção audiovisual para as redes sociais, na qual Brandão lê um trecho de um livro, e a participação no Banquete de Livros, projeto de extensão da UFRN que reúne leitores para discutir leituras.

A produção audiovisual é realizada em parceria com a Cooperativa Cultural e o Adurn-Sindicato. Todo mês, a professora seleciona o trecho de uma obra disponível na livraria da Cooperativa e comenta brevemente sobre a leitura. Em abril, Brandão leu, para o projeto, um trecho do livro “1964: O golpe”, de Flávio Tavares, em alusão aos 60 anos do golpe que instaurou a ditadura militar de 1964 no país.

“Todo mês eu leio uma obra literária escolhida por mim. Quem nos ajuda nessa filmagem e está dentro desse projeto como colaborador é a Cooperativa – com bolsistas, apoio técnico –, e o Adurn-Sindicato, que faz a edição dos vídeos. E a gente posta em collab: o Instagram do projeto, a Cooperativa e o Adurn”, ressalta a professora. “Já é voltado para um público mais adulto, com uma temática do mês”.

Perspectiva de interiorização

Existe ainda a ideia de levar a proposta para os campi da UFRN localizados no interior do estado, pelo menos até o final deste ano, afirma Brandão.

Inicialmente, a perspectiva é de que o projeto seja levado, em parceria com a Cooperativa Cultural, ao campus da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) e à Faculdade de Ciências da Saúde (Facisa), em Santa Cruz, em um momento cultural.

“Como são adolescentes e adultos [nesses campi], as obras são mais voltadas para esse público. Mas sempre na perspectiva de discussão”, pontua.

Leitores em Cena

É um projeto vinculado ao Núcleo de Educação da Infância (Colégio de Aplicação – NEI-CAp/UFRN), ao Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre as Infâncias (NEPI) e tem como parceiros a Livraria Cooperativa Cultural da UFRN e o grupo de leitura Banquete de livros da UFRN, além do Adurn-Sindicato. 

A proposta é coordenada pela professora Isaura Brandão e envolve alunos, professores, funcionários e o público em geral.

Acompanhe o Instagram do projeto.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.