Audiência na Câmara de Natal vai debater greve na educação federal
Natal, RN 23 de mai 2024

Audiência na Câmara de Natal vai debater greve na educação federal

14 de maio de 2024
3min
Audiência na Câmara de Natal vai debater greve na educação federal
Foto: reprodução/Sintest

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A audiência pública “A importância da greve nacional das universidades e institutos federais (UFRN/IFRN)” acontece na Câmara Municipal de Natal nesta quinta-feira, 16, às 14h. A atividade, que é uma iniciativa do vereador e professor Robério Paulino (PSOL), contará com a presença de diversos sindicatos de servidores federais e também de estudantes, com o objetivo de trazer as vozes dessas categorias para debater o movimento grevista na educação federal.

Segundo o vereador Robério Paulino, é importante levar o debate das greves nas instituições federais de ensino para a Câmara de Natal pois as universidades e os institutos federais são setores essenciais na cidade.

“Como a UFRN, que cumpre um papel fundamental na vida de Natal e do nosso estado. Nossas universidades públicas e IFRN no estado estão paralisadas e isso afeta dezenas de milhares de pessoas”, explica o professor.

Robério ainda chama atenção para um dos principais motivos que levou à deflagração da greve na rede de ensino federal: o reajuste zero para 2024.

“Lamento muito que o governo do presidente Lula tenha oferecido, para esse ano de 2024, 0% de reajuste, depois de um salário congelado durante os governos Temer e Bolsonaro. O governo federal ofereceu uma proposta para 2025, e uma pequena proposta para 2026, mas para este ano é zero de reajuste”, conta.

O vereador vê o movimento grevista como uma forma de cobrança e reivindicação dos direitos dos trabalhadores, ressaltando que muitos desses elegeram o presidente Lula (PT).

“Vale lembrar que a maioria dos professores e dos técnicos administrativos votou em Lula. E nós achamos uma imensa ingratidão, por parte do governo, fazer isso com a categoria. O governo está rompendo com a sua base social. Não estamos pedindo nada exagerado, mas a recomposição salarial. , defende Robério.

Ele ainda relembra que a greve reivindica as decisões econômicas do governo federal.

“Nós não elegemos Lula para ele fazer a mesma coisa que Bolsonaro em termos salariais. O governo está mantendo rigorosamente o pagamento da dívida pública aos bancos, com a política de arcabouço fiscal, enquanto criminaliza os servidores públicos. Não é uma greve contra o Lula, mas é contra a política de arcabouço fiscal do ministro Fernando Haddad, que é uma mesma política piorada do ministro Paulo Guedes, do Bolsonaro, com o teto de gastos”, avalia.

Greve nas instituições federais de ensino

A audiência pública que debate a greve nesta quinta-feira, 16, em Natal, faz parte de um calendário de lutas dos trabalhadores em greve das instituições federais de ensino. A mobilização dos servidores do RN integra um movimento nacional de luta pela educação.

O movimento paredista rejeita o reajuste salarial zero para 2024, pede a reestruturação da carreira dos Técnicos Administrativos em Educação (TAEs) e docentes e ainda o “revogaço” das medidas prejudiciais à educação federal aprovadas nos governos Michel Temer e Jair Bolsonaro.

Ao lado dos estudantes, os servidores reivindicam a recomposição orçamentária das instituições de ensino superior.

Serviço

O quê? Audiência pública “A importância da greve nacional das universidades e institutos federais (UFRN/IFRN)”

Quando? 16 de maio (quinta-feira), às 14h

Onde? Plenário da Câmara Municipal de Natal

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.