Doação de leite materno: entenda a importância do gesto
Natal, RN 19 de jun 2024

Doação de leite materno: entenda a importância do gesto

26 de maio de 2024
7min
Doação de leite materno: entenda a importância do gesto
(Foto: rawpixel.com/Pexels)

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A doação de leite materno é um gesto simples e que salva vidas. No Rio Grande do Norte, em 2023, a doação do leite beneficiou mais de 8 mil bebês recém-nascidos no estado, segundo dados do Ministério da Saúde. Essa ação parte de mulheres que inspiram e ajudam inúmeras mães que, por diversos motivos, não conseguem amamentar seus bebês.

A Agência Saiba Mais conversou com uma doadora que desde da primeira vez que doou, sentiu que estava ajudando a salvar inúmeras vidas de bebês potiguares, a Ozangela Vanessa das Neves Rocha Silva. De Coronel Ezequiel, no interior potiguar, a mamãe já é uma doadora há 5 meses. 

“Desde a 1°filha, tinha vontade de doar. É Importante por ser um ato de amor ao próximo, amor à vida!”, explica a Ozangela que é doadora no Hospital Universitário Ana Bezerra (Huab-UFRN-Ebserh), em Santa Cruz. 

Ozangela também contou que começou a doar seu leite quando precisou extraí-lo, pois o fluxo do líquido era muito intenso e seu bebê, com apenas 1 mês de vida, poderia se engasgar. A partir daí, foi amor à primeira vista pelo gesto que ela sempre teve vontade de fazer. 

“Uma experiência maravilhosa que se eu pudesse doaria infinitamente. Muito boa pois me sinto útil em poder ajudar tantas mães e bebês em um momento único e muito especial!”, comenta.

O leite materno é importante para todos os bebês, principalmente para os que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe. E embora as doações tenham sido maiores em 2023, registrando 253 mil litros de leite humano doados no Brasil e beneficiando mais de 225 mil recém-nascidos, esse número representa apenas 55% da necessidade do país. 

Ana Zelia Pristo, enfermeira e coordenadora do Banco de leite da Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC-UFRN-Ebserh), explicou a Agência Saiba Mais que esse serviço é importante para alimentar bebês que estão impossibilitados de mamar pelos mais diversos motivos, seja pela questão da saúde da mãe ou pelo nascimento prematuro do bebê. A enfermeira também explica que o leite doado é somente aquele excedente da mãe. 

“Nessa hora é que a gente vê a importância da doação de leite, dessas mães que dão o excesso do seu leite, porque a prioridade sempre é seu filho. Então o leite que, na maioria das vezes, as mães tiram, como elas chamam, as “esgotas”, do peito, elas jogam fora porque não sabem da importância, não sabem do procedimento, ou como viabilizar essa doação. Então é muito importante a orientação, a divulgação, para que esse leite seja totalmente aproveitado, porque tem várias crianças que necessitam dele.”, explicou. 

Serviço de coleta tem o objetivo de continuar o aleitamento materno

Andréa Araújo, enfermeira responsável pelo posto de coleta de leite humano do Huab, explica que o serviço é importante para promover a continuidade do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida da criança. Para isso, os postos de coleta contam com equipes especializadas que prestam apoio e incentivam a amamentação. O leite coletado no Huab, por exemplo, é destinado a Maternidade Escola Januário Cicco e lá ele é pasteurizado e passa por todo controle de qualidade e logo em seguida é distribuído ao hospital.

“O nosso serviço tem como objetivo principal promover a continuidade do aleitamento materno, exclusivo, até o sexto mês de vida da criança. E incentivar o processo de doação do leite humano, uma vez que esta viabilizada mediante o estabelecimento da amamentação da mãe doadora. Então, a gente realiza o atendimento tanto às pacientes internas, quanto às pacientes que já receberam alta e retornam para o serviço, mediante alguma dificuldade.”, explica a enfermeira.

Ana Zélia explica o processo de tratamento do leite realizado na MEJC: “Todo leite que é doado, ele tem que ser aproveitado, processado e passar pelo controle de qualidade. Depois ele é pasteurizado e após o laudo do laboratório, pelo controle microbiológico, que é feito sensorial e fisicoquímico, é que esse leite pode ser distribuído se tiver em boas condições e se for aprovado. Então, às vezes as pessoas acham que o leite, quando chega no banco, ele não está pronto para uso. Não.”, argumenta. “Ele vai passar por todo esse processamento, pelo controle de qualidade, para depois, após o laudo do laboratório de microbiologia, que esse leite vai ser distribuído ou vai ser descartado. Então, não é 100% do leite que nós recebemos que é aproveitado. Por isso tem que passar pelo controle de qualidade. Tem que ter todos os critérios para que esse leite seja ofertado em boas condições, que seja próprio para consumo, que não venha trazendo um dano para o bebê, e nem para a mãe”, completou.  

No Huab, o serviço também atua em diferentes intercorrências que podem ir do período da gestação até o puerpério. “O nosso posto de coleta atende tanto à demanda de coleta interna, como coleta externa, nos domicílios das doadoras que residem nos municípios de Santa Cruz, Campo Redondo, Tangará, Japi, Coronel Ezequiel, Lajes Pintadas e São Bento do Trairí e Jaçanã, municípios compreendem a nossa rota de leite.”, completa.

Andréia reforça, inclusive, o incentivo a doação do leite porque o banco do hospital passa por uma situação delicada devido ao baixo número de doadoras.

“No contexto atual, o nosso posto de coleta apresenta-se em uma situação que a gente pode dizer, assim: delicada. Onde nós estamos com uma baixa no número de doadoras, e por isso a importância desse incentivo para a prática de doação. Porque só através do ato de doação a gente consegue garantir a nutrição e a alimentação dos bebês recém-nascidos, prematuros ou de baixo peso que ficam internados na nossa unidade neonatal. Então, o processo de doação é justamente importante para possibilitar esse desenvolvimento e crescimento saudável dessas crianças que ficam internadas aqui na nossa instituição, além de proteger contra prováveis doenças infecciosas ou alergias.", alertou.

Benefícios do leite materno

O leite materno é fundamental para o desenvolvimento dos recém nascidos, trazendo uma série de benefícios tanto para a mãe quanto para o bebê. No ato da doação, os pequenos que por algum motivo não puderam ser amamentados pelas mães, podem ter acesso aos bancos de leite e garantir a amamentação pelo tempo e estoque necessários. Segundo o Ministério da Saúde, o aleitamento protege a criança contra diarréias, infecções respiratórias e alergias. Essa amamentação também reduz em 13% a mortalidade em crianças menores de 5 anos. Além disso, ela reduz o risco de desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade na vida adulta.

Quem pode doar? 

Segundo a pasta, toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite humano. Já para doar, basta ser saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação. Caso a doadora faça uso de medicação e queira doar, basta entrar em contato com o banco de leite mais próximo ou ligar para o número 136 para obter maiores informações de como e quando doar.

 Onde entregar o seu leite para doação

Bancos de Leite Humano no Rio Grande do Norte

  • Maternidade Escola Januário Cicco (Natal) - (84) 3342-5800
  • Hospital Drº José Pedro Bezerra (Natal) - (84) 3232-7728
  • Hospital Central Coronel Pedro Germano (Natal) - (84) 3232-0941
  • Hospital Maternidade Divino Amor (Parnamirim) - (84) 3272-4367
  • Hospital do Seridó (Caicó) - (84) 98192-2300
  • Hospital Regional Parteira Maria Correia (Mossoró) - 84 3317-3050

Postos de Coleta de Leite Humano no Rio Grande do Norte

Maternidade Leide Morais (Natal) - (84) 3232-1548

Maternidade Araken Irerê Pinto (Natal) - (84) 3232-8431

Hospital Universitário Ana Bezerra (Santa Cruz) - (84) 4042-1100

Maternidade Almeida Castro (Mossoró) - (84) 3315-1030

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.