MPT-RN promove evento sobre juventude e sindicalismo
Natal, RN 19 de jun 2024

MPT-RN promove evento sobre juventude e sindicalismo

25 de maio de 2024
3min
MPT-RN promove evento sobre juventude e sindicalismo

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Dentro das ações da campanha Maio Lilás, o Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT-RN) realiza, na próxima quarta-feira (29), o seminário Sindicalismo e Juventude.

O evento acontecerá das 09h às 12h, no auditório da Procuradoria Regional do Trabalho da 21ª Região, localizada na Rua Dr. Poty Nóbrega, 1941, Lagoa Nova. A entrada é aberta ao público.

A programação abre com a palestra "Mediação pré-processual como instrumento de pacificação dos conflitos coletivos", ministrada pela juíza Simone Jalil, do TRT-RN. Em seguida, o procurador-chefe do MPT-RN, Gleydson Gadelha, conduzirá o diálogo sobre o surgimento do movimento sindical, atos antissindicais, etarismo e o papel do MPT.

O seminário também conta com a participação do secretário de juventude da CUT-RN, Bruno Vital; do representante da Comissão de Direito Sindical da OAB-RN, Benito Oderley; e de Cláudio Gabriel, superintendente regional do trabalho e emprego do RN.

A escolha do tema esse ano pelo MPT a nível nacional se dá em um contexto de queda da participação de jovens em atividades sindicais. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a taxa de filiados em sindicatos com idade entre 16 e 29 anos caiu de 3 milhões para 1,3 milhão entre 2012 e 2022, o que representa queda de 55%.Neste ano, a campanha “Maio Lilás”, alusiva à defesa da luta sindical, reforça a importância do engajamento dos jovens em atividades sindicais, diante de um contexto de queda da participação desse grupo.

Sobre o “Maio Lilás” – O “Maio Lilás” promovido pelo MPT acontece desde 2017 e a escolha do mês tem referência com a greve geral puxada pelos trabalhadores de Chicago, nos Estados Unidos, no final do século XIX, muitos dos quais foram mortos ou presos por lutarem por valorização e por melhores condições de trabalho. Já a cor lilás é uma homenagem às 129 mulheres trabalhadoras, que foram trancadas e queimadas vivas em um incêndio criminoso numa fábrica de tecidos, em Nova Iorque (EUA), em 8 de março de 1857, por reivindicarem um salário justo e redução da jornada de trabalho. No momento do incêndio, era confeccionado um tecido de cor lilás.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.