Projeto Ilha de Música enfrenta dificuldade financeira; veja como doar
Natal, RN 24 de mai 2024

Projeto Ilha de Música enfrenta dificuldade financeira; veja como doar

15 de maio de 2024
6min
Projeto Ilha de Música enfrenta dificuldade financeira; veja como doar
Foto: reprodução @ilhademusica

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Projeto Ilha de Música, que atua desde 2006 na Comunidade da África, na Redinha, Zona Norte de Natal, está lançando uma campanha para arrecadar alimentos e material de limpeza. O projeto, que trabalha com crianças e adolescentes de 6 a 18 anos, funciona de segunda a sexta-feira pela manhã e oferece, diariamente, café da manhã para os alunos. Mas tem enfrentado dificuldades financeiras.

Por isso, no momento, a Ilha de Música está funcionando somente de segunda a quinta-feira, explica Byanca Vanderlei, produtora e voluntária social do projeto.

“A gente não tem condições de manter todos os dias da semana, pois é mais um dia de gasto e de custo. Então demos uma reduzida. E todos os dias as crianças tomam café na Ilha antes de começar as atividades de estudo dos instrumentos”, conta.

Diversas aulas são oferecidas gratuitamente pela Ilha de Música, como trompete, trombone, saxofone, bateria e percussão, flauta, clarinete, musicalização, prática de grupo e violão. Para participar, os alunos devem estar matriculados em uma escola pública.

Principalmente neste ano, as dificuldades com os editais de incentivo à cultura é o que tem dificultado o andamento da Ilha de Música. No entanto, não falta esforço por parte da equipe para conseguir manter o projeto funcionando.

“A gente é otimista em querer manter, pois é um projeto que já tem mais de 17 anos de história no município de Natal, atuando ali no bairro da Redinha. Eu acredito que é uma referência a Ilha de Música”, ressalta Byanca, “O projeto é apaixonante, quando a gente começa a trabalhar lá, é muito difícil querer parar. Então, a depender dos professores, o projeto não para. Mas existem outras questões que a gente precisa manter”.

Uma dessas questões financeiras citadas por Byanca é o próprio café da manhã oferecido na Ilha de Música para os estudantes.

“Às vezes a criança não tem nem uma alimentação em casa. A primeira comida dela é esse café da manhã da Ilha. Muitas famílias contam com isso, porque na maioria dos nossos alunos a renda familiar é de um salário mínimo ou até menos. Então o café da manhã é primordial para eles. Tem alunos que fazem mais de um instrumento, então está quase todos os dias na Ilha, estudando e tomando esse café da manhã”.

A Ilha de Música é o principal ponto de coleta para arrecadação dos itens. O endereço fica na Rua Padre Cícero Romão, 358, na Redinha, em Natal. Quem não puder ir até o local, pode entrar em contato com o Instagram do projeto para combinar com a equipe a melhor maneira de coletar a ajuda.

Para quem preferir, o projeto também aceita doações via PIX. Confira a chave: 10881418000109.

Saiba o que doar: alimentos

Açúcar;

Flocão de milho;

Farinha de trigo;

Bolacha;

Biscoito;

Achocolatado;

Goma de tapioca;

Ovos;

Manteiga/Margarina;

Café;

Iogurte;

Leite;

Sardinha em lata.

Saiba o que doar: material de limpeza

Papel higiênico;

Papel toalha;

Detergente;

Desinfetante;

Água sanitária;

Sabão em pó;

Sabão em barra;

Água sanitária;

Álcool;

Esponjas de louça;

Sacos de lixo;

Panos de chão;

Panos de prato.

Dificuldades financeiras

Byanca conta que, nos últimos anos, o projeto tem concorrido a editais que possam auxiliar o Ilha de Música financeiramente, como o edital de incentivo à cultura da Neoenergia. No entanto, no último ano, esse apoio não veio.

“Nos últimos anos a gente teve apoio do edital da Neoenergia”, conta. “No entanto, no último ano, a gente não conseguiu. Com vários outros projetos em Natal, a gente entende que é para outros projetos também serem aprovados. Mas isso dificultou um pouco, pois na saída da pandemia, com as coisas começando a acontecer novamente, a gente ficou sem esse apoio mais certo de manter o projeto”.

Também no ano passado, o Ilha de Música se inscreveu no edital do COMDICA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), da Prefeitura de Natal. Apesar de ter sido aprovado, o projeto enfrentou dificuldades com o atraso de repasse das verbas. O Ilha de Música já estava há dois meses contemplado pelo edital – são 12 ao todo – quando recebeu apenas o repasse do primeiro mês.

“O repasse do dinheiro foi sendo atrasado, e depois eles enviaram algumas diligências que a gente tinha que acertar para eles poderem fazer o repasse do dinheiro. E tudo isso foi atrasando, e o ano da Ilha [em 2024] começou e nós começamos o ano sem realmente ter uma estrutura financeira. Os professores e todo mundo aceitou trabalhar sem receber”, explica.

O projeto foi aprovado recentemente no edital da Lei Paulo Gustavo, como ponto de cultura. Mas Byanca reclama do atraso no recebimento das verbas.

“Mais uma vez esses editais vão atrasando o seu cronograma e quem realmente precisa do dinheiro fica à mercê desses adiamentos. Então a gente tem até junho para receber esse dinheiro [da Lei Paulo Gustavo], mas o Ilha de Música já começou em março”, explica.

A campanha da Ilha de Música foi lançada pois, nos editais em que o projeto foi aprovado recentemente – COMDICA e Lei Paulo Gustavo –, a alimentação não está na planilha de orçamento, dificultando o projeto de manter o café da manhã dos estudantes.

Saiba+

Lei Paulo Gustavo tem pagamento adiado mais uma vez no RN

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.