Rebecka de França vai representar RN em eventos na Alemanha
Natal, RN 18 de mai 2024

Rebecka de França vai representar RN em eventos na Alemanha

12 de maio de 2024
7min
Rebecka de França vai representar RN em eventos na Alemanha
Rebecka de França é coordenadora de Diversidade Sexual e Gênero (Codis) do RN | foto: cedida

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A professora, ativista dos direitos LGBTQIA+ e coordenadora de Diversidade Sexual e Gênero (Codis) do Estado, Rebecka de França, será a representante potiguar nos eventos Global Internacional Trans e 25th AIDS Congress, que vão acontecer em Munique, na Alemanha, entre os dias 20 e 27 de julho. O Global International Trans é um fórum global que reúne líderes e ativistas trans de todo o mundo para discutir questões relacionadas aos direitos humanos, saúde e inclusão dessa população. Já o 25th AIDS Congress é um dos principais eventos globais dedicados à discussão científica e política sobre HIV/AIDS.

A Agência Saiba Mais conversou com a titular da cadeira ligada à Secretaria das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (Semjidh), que contou sobre suas expectativas e os trabalhos que levarão o nome do Rio Grande do Norte a outro continente.

“As principais questões que vão ser abordadas nos eventos são, justamente, a participação das pessoas trans na sociedade, posto que hoje em dia as pessoas trans vivem muito à mercê. Por exemplo, eu sou a única gestora no Rio Grande do Norte todo, no governo do estado. Existem poucas gestoras nos municípios. Então a gente ainda vive muito na questão do ostracismo, de ser excluída.. Então é necessário que a gente tenha uma sala de aula preparada para atender uma pessoa trans, observando seu nome social, uso do banheiro”, explicou Rebecka.

“A gente tenha uma rede do SUS que entenda que as pessoas trans precisam também ser atendidas com dignidade. Uma assistência social que entenda que aquela pessoa precisa receber recursos também para poder viver dignamente na sociedade. Os esportes, que as pessoas estão vivendo em um grande movimento para que as pessoas trans não participem de campeonatos. Então a gente vive, ainda, em uma sociedade que nos exclui ao invés de nos incluir e a gente precisa abordar todas as questões mundialmente para que outros países sigam exemplos.”, explica a gestora.”, completou. 

Rebecka também comentou que a presença do Rio Grande do Norte em eventos como esse é importante, porque o RN é um dos estados que já aprovou leis importantes para população LGBT e, por ser um estado nordestino, a grande mídia, do eixo Rio-São Paulo, nunca mostrou isso. “Se você for analisar, hoje o Rio Grande do Norte é um dos estados do país que mais têm leis aprovadas para as populações LGBTs e trans. Isso não é colocado na mídia, infelizmente, porque a gente vive muito a questão do contexto de São Paulo, Rio de Janeiro e os estados do Centro-Sul do país. E a gente, como é um estado pequenininho, aqui do Nordeste, que não tem um PIB gigante, muitas vezes não conseguem ter vinculado às políticas que acontecem no estado e ser referência para o país.”, argumenta.  

 Convite para evento internacional trans veio depois de workshop em Natal

No ano passado, a capital do Rio Grande do Norte recebeu o 6° Workshop Nacional da Rede Trans, fruto de parcerias com a coordenação de diversidade sexual e gênero, por meio da Semjidh, que trouxe representantes trans e travestis de todo o Brasil, incluindo a presidente da RedLac Trans, Thatiane Araújo, que é uma rede de transexuais e travestis internacional, que engloba toda a América Latina.

“A gente trouxe pessoas trans de todo o país pra discutir políticas de inclusão, de diversidade, de promoção ao trabalho, prevenção às ISTs e todos esses sistemas ligados à população trans. E veio também a presidente da RedLacTrans do América Latina e Caribe, né? Então, a partir desse olhar, dessa liderança internacional, ela viu que Natal estava organizando e conseguiu condensar uma carta de princípios em Natal, que foi tirada nesse encontro, e aí essa carta, ela ganhou o mundo, né?”, explica.

“A partir disso, como ela viu que foi organizado por Rebecca de França, o workshop, eu fui convidada a participar dessa atividade com pessoas do mundo inteiro, mais de 300 pessoas do mundo inteiro, com passagem paga, com hospedagem, tudo isso incluso para estar lá.”, completa.

25ª Conferência Internacional sobre AIDS

A 25ª Conferência Internacional sobre AIDS, acontecerá em Munique, na Alemanha, e virtualmente de 22 a 26 de julho de 2024. A organização do evento estima que 15.000 participantes de todo o mundo participarão do evento para debater sobre o assunto, partilhar conhecimentos e pensar em políticas para o combate ao vírus mundialmente. Rebecka, que será a representante potiguar no evento, explica que a população trans, infelizmente, ainda é uma das mais expostas ao vírus do HIV. 

“A Rede Nacional de Pessoas de Trans do Brasil fez um trabalho muito importante durante o ‘Viva Melhor Sabendo’, que era um programa nacional do qual as pessoas filiadas iam testar travestis e transexuais nos pontos de prostituição pelo país. E aí, com a maioria dos resultados dando positivo, infelizmente, o percentual de pessoas trans que vivem da prostituição é altíssimo já que a maioria precisa se prostituir para conseguir ter algum tipo de renda. Foi diagnosticado, através desses dados, que a população que mais se contamina no Brasil é a população trans, devido ao contato sexualmente precoce. Ao serem expulsas de casa, elas acabam caindo na prostituição e no uso contínuo de substâncias ilícitas, e acabam não usando preservativo, não fazendo acompanhamento de PrEP e PEP, e com isso tem um contágio maior do que o restante da população”, explica. 

AIDS 2024, the 25th International AIDS Conference

A PrEP é a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV, que consiste no uso de medicamento anti-HIV de forma programada para evitar uma infecção pelo HIV. Já a PEP (Profilaxia Pós-Exposição) é o uso de medicamento anti-HIV em caráter de urgência, após uma situação de risco. A gestora também destaca a importância de políticas públicas no combate ao HIV. 

“Então é necessário que hajam políticas voltadas pra isso. E com isso a gente também aponta que o Rio Grande do Norte saiu de zero locais que dispersam a PrEP e a PEP, que é o medicamento para prevenir as ISTs. Então essa política que a gente tá tendo também aqui no Rio Grande do Norte de prevenção, de acompanhamento e de tratamento, ela também é referência no mundo. Poucos países dispersam esses medicamentos gratuitamente. Em vários países, inclusive na própria Europa, tem que ser pago.”, completa.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.