Motoristas de ônibus aceitam acordo e desistem de greve em Natal
Natal, RN 23 de jun 2024

Motoristas de ônibus aceitam acordo e desistem de greve em Natal

6 de junho de 2024
5min
Motoristas de ônibus aceitam acordo e desistem de greve em Natal
Foto: Andreivny Ferreira

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os motoristas de ônibus de Natal aceitaram a proposta do mediador do Ministério do Trabalho e decidiram, em reunião que aconteceu na tarde desta quinta-feira (6), suspender a greve dos rodoviários de transporte público de maneira definitiva em Natal. A proposta aceita pela categoria tem um reajuste de 4,23% nos salários dos motoristas e também um aumento de 10% no vale alimentação. A informação foi confirmada pelo Sindicato dos Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN).

Outras conquistas dos rodoviários, segundo o Sindicato, foram o pagamento integral do plano de saúde aos motoristas e uma nova medida estipulada, que é a renovação da carteira de habilitação de todos os rodoviários do município. 

“Conseguimos, apesar de muitas dificuldades, fechamos a negociação da nossa database. Os trabalhadores conseguiram um aumento de 4,23% no salário, conseguiu 10% no vale alimentação, conseguiram o pagamento integral do plano de saúde e também conseguiu um direito novo que é a renovação da carteira de habilitação a todos os rodoviários de nossa cidade”, explicou  Carlos Silvestre, assessor do Sintro-RN.  “Dessa forma, a partir de amanhã os ônibus funcionarão normalmente e não teremos mais greve em nossa cidade”, finalizou.

Confira o pronunciamento completo:

Os trabalhadores já haviam sinalizado aceitar a proposta feita pelo mediador e contavam com um acordo com os empresários para poder suspender a greve de vez. Na última segunda-feira (3), Júnior Rodoviário, presidente do Sintro RN, disse que a categoria não iria tirar uma vírgula da proposta apresentada pelo mediador e suspendeu a greve prevista para começar nesta semana.

“Vamos deixar bem claro: nós não vamos abrir um milímetro dessa proposta e se o empresário não quiser, toda sociedade é responsável e sabe que é o empresário que tá querendo a greve. Então, nós trabalhadores, vamos avaliar e discutirmos a proposta apresentada pelo mediador, mas deixando claro que se o empresário deixar uma vírgula menor nós não vamos aceitar. Vamos deflagrar a greve na sexta-feira às 00 horas”, pontuou.

Relembre o histórico da greve

Os motoristas de ônibus de Natal aprovaram um indicativo de greve na última terça-feira (28) de maio. A categoria reivindicava aumento salarial acima da inflação de no mínimo 5%, garantia de R$600 de vale alimentação, plano de saúde pago integralmente pelas empresas e renovação da carteira de habilitação dos motoristas também paga integralmente pelas empresas, além da manutenção de todas as cláusulas que já estão na convenção coletiva.

Na última sexta-feira (31),a categoria publicou um edital de greve, com a paralisação prevista para começar já nesta segunda (3).No entanto, ainda na segunda a categoria suspendeu a greve, após uma nova proposta apresentada pelo mediador do Ministério do Trabalho. A suspensão estava prevista para durar até esta quinta e, caso a proposta não fosse aceita, a greve começaria a partir desta sexta (7).

Os trabalhadores rodoviários reivindicam aumento salarial acima da inflação de no mínimo 5%, garantia de R$600 de vale alimentação, plano de saúde pago integralmente pelas empresas e renovação da carteira de habilitação dos motoristas também paga integralmente pelas empresas, além da manutenção de todas as cláusulas que já estão na convenção coletiva.

Já o anúncio da greve surgiu após rodadas de negociação sem avanço com as empresas de transporte público que operam na capital. De acordo com o Sintro-RN, a proposta dos empresários, apresentada na última quarta-feira (29) de maio, não atendeu às reivindicações dos trabalhadores. Segundo a categoria, no encontro da quarta (29), as empresas apresentaram proposta de reajuste salarial de 3% – abaixo da inflação -, dividido em 1,5% no mês de maio e a outra parcela em novembro. Além disso, foi proposto o reajuste de 3% para o vale alimentação dos trabalhadores.

No último dia (24), os motoristas e empresários de ônibus não conseguiram entrar em um acordo durante a reunião de negociação para debater o reajuste de salário da categoria. De acordo com Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn), os motoristas de ônibus pedem reajuste de 8,3% na remuneração atual, aumento de 50% no vale-transporte, de 20% no plano de saúde, além de benefício para custeio da renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Já no último dia (23), representantes do Seturn pediram à Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) um reajuste no valor da passagem de ônibus, justificando que estavam operando com um déficit de R$ 0,45 em cada passagem e que o problema seria agravado pelo aumento de salário dos motoristas de ônibus, que ainda está em fase de negociação. 

Acontece que, em 2023, a Prefeitura do Natal concedeu aumento de 14,47% na tarifa de ônibus, que passou de R$ 3,90 para R$ 4,50.

SAIBA +
Ônibus: motoristas e empresários não se entendem sobre reajuste de salários
Empresários pedem aumento de tarifa de ônibus de Natal
Greve dos motoristas de ônibus de Natal é suspensa até a próxima quinta (6)

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.