Sandro Pimentel defende que PSOL apoie Natália à prefeitura de Natal
Natal, RN 15 de jul 2024

Sandro Pimentel defende que PSOL apoie Natália à prefeitura de Natal

25 de junho de 2024
1min
Sandro Pimentel defende que PSOL apoie Natália à prefeitura de Natal
Foto: ALRN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Mesmo com a decisão do PSOL, no dia 10 de junho, de lançar a pedagoga e ex-vereadora Camila Barbosa como pré-candidata a prefeita de Natal, uma ala do partido discorda da decisão e prefere apoiar a pré-candidata petista Natália Bonavides.

O ex-vereador e ex-deputado estadual Sandro Pimentel é um destes nomes. Ele foi voto vencido na reunião do diretório em 10 de junho, mas diz que, como a decisão partiu de uma instância municipal, ainda pode ser alterada. Pimentel diz que vai “lutar com todas as forças políticas” que possui para que a posição seja revertida e pode apresentar recurso no diretório nacional.

“A gente sabe que tem, dentro do partido, nesse grupo que votou contrário, a intenção de fazer recurso dessa decisão à instância superior. Eu particularmente tenho vontade de votar em Natália. Eu quero votar em Natália. E quero porque fui vereador com ela e eu sei a qualidade, a responsabilidade, a política defendida por Natália, o tipo de cidade que ela defende. Então eu quero ter essa oportunidade e eu vou lutar por isso, para que isso aconteça”, afirma.

“Ou seja, a decisão do diretório municipal é uma primeira instância. Mas eu vou lutar com todas as forças políticas que eu tenho para que essa decisão seja revertida e o campo da esquerda possa ir junto no apoio e na construção da pré-candidatura de Natália desde o primeiro turno”, continua.

De acordo com o ex-deputado, uma resolução do PSOL define que em cidades que têm mais de 200 mil eleitores — como é o caso de Natal — a homologação das pré-candidaturas precisa passar pelo diretório nacional.

“Então essa decisão daqui carece de homologação pelo diretório nacional. Então, é aí que a gente pode apresentar recursos”, explica.

Por que Natália?

Sandro e seu grupo enxergam que atualmente em Natal existe uma polarização com três candidaturas, sendo duas de direita (Carlos Eduardo-PSD e Paulinho Freire-UNIÃO) e uma de esquerda, de Natália Bonavides pelo PT. À exceção de PSOL e PSTU, a maioria do campo progressista da cidade atualmente apoia Natália.

“Nós achamos que lançar a candidatura própria é um risco que pode, inclusive, levar Natal a ter no segundo turno a única opção de votar numa das duas candidaturas de direita. A gente acha isso um retrocesso. Nós achamos que Natal tem uma oportunidade, pela primeira vez na história, de ter uma opção progressiva na prefeitura”, diz Sandro, sobre o motivo de defender o nome do PT à Prefeitura.

PRD e MDB

No último congresso estadual, o PSOL aprovou resolução eleitoral que o orientava a construir uma unidade de esquerda nas eleições em Natal para derrotar o bolsonarismo e a direita tradicional. Antes do PSOL lançar Camila Barbosa, diálogos com Natália foram feitos, mas a unidade tornou-se inviável quando houve a incorporação de partidos como o MDB e da extrema-direita como o PRD, sinalizando uma aliança eleitoral vetada pelo diretório nacional do partido. Sandro reconhece que essa aliança é um problema, mas defende que sua posição e de seu grupo não é pela aliança, mas sim do apoio informal à pré-candidata.

“A resolução nacional proíbe que o PSOL apoie candidaturas de direita ou que estejam junto com a direita. Então, como a candidatura de Natália está como MDB e o PRD, que são partidos de direita, fica vetada a aliança com o PSOL. A nossa defesa não é da aliança, é a defesa do apoio informal do partido.”

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.