Senado: dono da Tribuna do Norte entra no lugar de Rogério Marinho
Natal, RN 20 de jul 2024

Senado: dono da Tribuna do Norte entra no lugar de Rogério Marinho

19 de junho de 2024
3min
Senado: dono da Tribuna do Norte entra no lugar de Rogério Marinho
Foto: Canindé Soares

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O senador potiguar e líder da oposição, Rogério Marinho (PL), vai tirar uma licença de quatro meses do Senado, com vistas à organização do PL para 2024. Em seu lugar, entra o primeiro suplente, o empresário Flávio Azevedo, dono da Tribuna do Norte.

A cerimônia de posse do novo parlamentar está marcada para esta quarta-feira (19) às 16h, no plenário do Senado. Em 2019, Azevedo assumiu o controle econômico da Tribuna do Norte. Na lista de bens declarados à Justiça Eleitoral em 2022, aparece o crédito decorrente de empréstimo concedido à empresa jornalística no valor de R$ 2,35 milhões.

Ao todo, a lista declarada à Justiça soma 46 bens, numa fortuna de R$ 25,5 milhões declarados, que variam entre quotas ou quinhões de capital, fundo de investimento imobiliário, casas ou terreno, outras aplicações e investimentos, e mais. O maior bem é justamente da Construtora A. Azevedo, com sede em Natal, sob valor de R$ 3.592.665,15.

O engenheiro de formação tem 78 anos e já havia sido candidato à primeira suplência em 2014. À época filiado ao MDB, esteve na chapa de Wilma de Faria (PSB), que acabou em segundo lugar para apenas um eleito – no caso, a atual governadora do RN, Fátima Bezerra (PT).

O empresário também foi presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN) por dois mandatos, entre 2003 e 2011, além de ter sido vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), entre 2008 e 2011.

Nesta terça (18), Marinho participou da sessão legislativa e se despediu temporariamente do cargo. Ele afirmou que as eleições deste ano serão um “preâmbulo” para 2026.

“Nós pretendemos, ao longo dos próximos meses, nos dedicar a essas eleições, porque elas são, na verdade, um preâmbulo para as eleições nacionais de 2026, tão importantes para o nosso país”, disse.

A entrada de Azevedo no Senado já havia sido ventilada antes, mas por outro motivo. Isso porque, em junho do ano passado, Marinho fora condenado à perda do mandato por um suposto esquema de nomeação de cargos fantasmas na Câmara Municipal de Natal em 2007, enquanto era vereador na capital.

Com a decisão do juiz Bruno Montenegro Ribeiro Dantas, da 6ª Vara da Fazenda Pública de Natal, Marinho perderia também os direitos políticos por oito anos e teria que pagar uma multa, além de ficar proibido de fazer contratação junto ao poder público, numa sentença que posteriormente foi contestada e anulada porque os crimes prescreveram. Em 16 de agosto de 2023, o mesmo juiz considerou que a ação foi ajuizada em 19 de dezembro de 2014 e que o mandato de vereador de Rogério Marinho se encerrou em 31 de janeiro de 2007, tendo transcorrido o prazo prescricional de cinco anos.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.