Carolina Villaça

Até quando esperar?

A indignação reprimida da jornalista Carolina Villaça extravasada nos shows da Plebe Rude e Titãs virou crônica

Pra quê motivo?

A jornalista Carolina Villaça faz uma ode à dança nesta crônica sensível e intimista para brindar a sexta-feira

Quis evitar teus olhos

“Mulheres lindas e incríveis dominam a porra toda ali, com amor e maestria, e estão prestes a fazer muito mais”. Leia a crônica da jornalista Carol Villaça

Agora fudeu: conheci o Egeu de Salvador

E quando a gente tem a melhor experiência gastronômica das galáxias ? No caso da jornalista Carol Villaça foi tão especial que virou até crônica

Santa punheta

A jornalista Carol Villaça transforma em crônica a história do mineiro André e suas penitências até a autorização do autoprazer pelo Vaticano

Esquece nosso amor, vê se esquece…

“Mas a hora não é de dor ou de mágoas, ainda que o título da crônica pareça sugerir o contrário, já que inspirado em um Cartola triste. Se assim lhe parece, é só porque também é triste qualquer despedida”. Confira a crônica da jornalista Carol Villaça

Qual o tamanho do seu machismo?

O machismo nosso de cada dia enraizado num colégio de classe média de Brasília. Esse é o tema da crônica da jornalista Carolina Villaça