Principal

Média diária de mortes por Covid-19 no RN tem queda de 45%

A média diária de mortes por por Covid-19 no Rio Grande do Norte registrou queda de 45% nesta semana. É o segundo melhor índice do país. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (17) pela governadora Fátima Bezerra, que voltou a participar da coletiva de imprensa realizada na Escola de Governo.

A chefe do Executivo estadual atribuiu essa redução na média diária de óbitos às medidas e ações tomadas pelo Governo, como a abertura de novos leitos, que já superam 500 unidades, entre leitos críticos (UTI e semi-intensiva) e clínicos.

“Isso tudo é fruto de muito trabalho, medidas assertivas ao longo desse período, como o isolamento e distanciamento. O trabalho incansável que nosso governo desenvolveu, garantindo uma maior disponibilidade de leitos”, afirmou.

O Estado registra 41.303 casos confirmados, 53.748 suspeitos e 1.526 óbitos. Destes, 10 foram registrados nas últimas 24 horas. Ainda há 214 óbitos estão em investigação e 64.246 casos já foram descartados. Segundo o Governo, por indisponibilidade dos sistemas de notificação do Ministério da Saúde no módulo de exportação, não foram inseridas as notificações dos dias 14 e 15 de julho.  Os dados podem ser consultados no boletim epidemiológico da Secretária Pública de Saúde divulgados no site do órgão.

Fátima Bezerra disse ainda que o Governo vai dar sequência à retomada das atividades econômicas no Estado. E reforçou que a população deve continuar cumprindo as medidas de isolamento social para que o Rio Grande do Norte vença a pandemia:

“As medidas vêm se dando de forma muito responsável e segura, afirmando aos empresários para cumprirem os protocolos do decreto e as medidas sanitárias de higienização. À população, tomar os cuidados, porque o vírus não foi embora, ainda não temos a vacina, todos os cuidados continuam sendo necessários”, declarou a chefe do executivo.

O coordenador do Laboratório de Análises Tecnológicas em Saúde (LAIS/UFRN) Ricardo Valentim esclareceu que o declínio tem acontecido em todos os dados epidemiológicos, tais como: casos confirmados, taxa de transmissibilidade e ocupação de leitos.

“Estamos em uma situação totalmente diferente de 30 dias atrás, onde a fila de espera por leitos alcançavam 100 pacientes. Hoje há apenas 5 em espera por UTI. A taxa de isolamento, também, vem se mantendo, mesmo com a retomada comercial. Isso pode ser um dos fatores que podem estar contribuindo para esses dados positivos”, afirmou.

“Não é momento para desmobilizar leitos”, afirma Ricardo Valentim

O representante do Comitê cientifico estadual ressaltou que não é momento para desmobilização dos leitos. Para ele, essa medida pode provocar uma nova onda ascendente nos casos de Covid-19 no estado.

“O melhor balanço ocorre na quinzena, essa semana não é momento de desmobilizar nada, porque é possível ter uma nova onda e a gente não quer que isso aconteça”, afirmou o coordenador do LAIS.

Ele reforçou, ainda, que caso haja essa ação de “fechamento” dos leitos, principalmente na região Metropolitana que registra maior número de ocupação de leitos, quem terá graves consequências é a população mais carente dependente do sistema único de saúde.

A Subcoordenadora de Vigilância Sanitária do estado Alessandra Luchessi informou que 83% dos leitos de UTI do RN estão ocupados. A grande Natal lidera o ranking da taxa de ocupação com 89%, seguido vem Mossoró com 85%, João Câmara 80%, Caico 63%. e Pau dos Ferros com 60%.

Com isso, tanto o representante do comitê científico Ricardo Valentim quanto a governadora Fátima Bezerra fizeram apelo à população para manter as medidas sanitárias de higienização, bem como garantir o isolamento e distanciamento social.

Governo do Estado confirmou declínio na curva de óbitos no RN / Foto: Elisa Elsie
Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista potiguar em formação pela UFRN.