Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

   Por Cledivânia Pereira | Fotos: Arquivos

Em 1963, Angicos
e Paulo Freire
estavam no NYT

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

2021 - 100 anos de Paulo Freire

Ele é o patrono da educação brasileira e um dos pesquisadores mais citados do mundo. Mas você sabia que essa história começou em Angicos no Rio Grande do Norte?

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

O objetivo era alfabetizar adultos em apenas 40 horas de aulas através das palavras usadas pelo grupo de alunos. Na época, mais de 70% da população de Angicos  não sabiam ler ou escrever.

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

A primeira turma recebeu o diploma de alfabetização em 2 de abril de 1963 e o projeto foi financiado com dinheiro americano.

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Em 2 de junho de 1963, o projeto foi notícia no jornal americano New York Times: “BRASIL REALIZA UM MOVIMENTO DE ALFABETIZAÇÃO”.

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Estudos sobre a metodologia usada por Paulo Freire foram feitos em todo o mundo e mostram que a aprendizagem mais significativa dos alunos foi a elevação da autoestima.

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

 “Temos muita necessidade das coisas que nós não sabia, e que hoje estamos sabendo. Em outra hora, nós era massa, hoje já não somos mais, estamos sendo povo”.

Antônio Silva
Orador da primeira turma de alunos

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Na solenidade de formatura da primeira turma, estava o general Castelo Branco, que um ano após aquela solenidade, assumiu a presidência da República com o golpe militar de 1964. 

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Castelo Branco dizia que o trabalho de Paulo Freire estava “engordando cascaveis”.

Com o Golpe Militar, o projeto foi interrompido, Paulo Freire e os coordenadores foram presos.

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

um grupo da Embaixada norte-americana visita o então governador Aluízio Alves. A ideia era preparar a visita do presidente John Kennedy. Kennedy foi assassinado, em Dallas, um mês após a reunião.

Heading 2

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

No ano do centenário de Paulo Freire, o Governo do RN inaugurou um monumento em homenagem ao educador na pequena Angicos.

 Foto: Assecom/RN

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Quer saber mais sobre o projeto de Paulo Freire? 

A gente conta AQUI! 

Click abaixo que a gente conta!

Quer saber mais sobre o RN?

saibamais.jor.br