Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Fotos: Canindé Soares
Edição: Cledivânia Pereira

Lajedo de Soledade: riqueza do RN

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

O Lajedo de Soledade, um dos sítios arqueológicos mais importantes do Brasil, está localizado na região Oeste do Rio Grande do Norte, no município de Apodi, a 12 km do centro da cidade

Foto: Canindé Soares

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Localizado numa área de dois quilômetros quadrados de rocha calcária, do período Cretáceo Superior, o Lajedo de Soledade quase foi destruído pelos produtores de cal da região 

Foto: Cledivânia Pereira

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Mas a intervenção de geólogos da Petrobras e dos próprios moradores do distrito do Lajedo, no início da década de 90, acabou salvando este sítio

Foto: Canindé Soares

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

No lajedo, pesquisadores da UFRN encontraram fósseis de animais pré-histórico, como o bicho-preguiça que viviam no Nordeste no período Glacial, além de pinturas rupestres

Foto: Divulgação

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Foto: Canindé Soares

São vários os painéis dessas pinturas ainda preservadas que se encontram no leito de um rio seco, que podem ser observadas em visitas acompanhadas por guias

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Segundo pesquisadores, os desenhos dessas pinturas teriam sido feitos por índios que habitavam essa região no período pré-histórico

Foto: Canindé Soares

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Há 90 milhões de anos toda a área era coberta por um mar raso que, ao recuar, relevou uma grande extensão de rocha calcária

Foto: Canindé Soares

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

O sítio é dividido em três áreas: Urubu, Araras e Olho d’água

É enorme o valor científico, cultural e histórico desse sítio arqueológico e a visitação pode ser feita com guias especializados

Foto: Canindé Soares

Click abaixo que a gente conta!

Quer saber mais sobre o RN?

Produção WebStories: Cledivânia Pereira
Fotos: Canindé Soares
saibamais.jor.br