Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Edição: Cledivânia Pereira

Xadrez muda vida
 De Ex-diarista
de Macaíba

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Até o final de 2021, a moradora de Macaíba, Cibele Florêncio, fazia faxina até o final de 2021. Hoje, após ficar conhecida por ter participado de campeonato mundial de xadrez, está em meio a muitas mudanças…

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Por causa da exposição após a divulgação de sua carreira como enxadrista, ela conseguiu novo emprego, uma bolsa em uma faculdade particular e está cheia de planos para o futuro

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Tudo começou quando ela participou da etapa do Campeonato Mundial de Xadrez, na Polônia de 26 a 30 de dezembro

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Mas essa história não começou agora. Cibele Florêncio aprendeu a jogar aos 9 anos porque estudava em uma escola em que o xadrez era obrigatório. No primeiro campeonato, aos nove anos, ficou em segundo lugar

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Por falta de tempo e dinheiro, a habilidade ficou adormecida por alguns anos. Em entrevista à Folha de São Paulo, ela contou que quando viu "O Gambito da Rainha", série de 2020 da Netflix, identificou-se do começo ao fim

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Mesmo sem tempo, continuou participando de alguns campeonatos e se tornou campeã estadual. Um casal para quem fazia faxina pagou a inscrição de R$ 150 para o Campeonato brasileiro e ela foi vice-campeã nacional

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Cibele foi vice tanto na modalidade rápida (15 minutos para as jogadas) como na blitz (3 minutos). A enxadrista Renée Brambilla, 33, ganhou em ambas

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Com o resultado, ela conseguiu vaga no Mundial, na Polônia.  Mas Cibele não tinha dinheiro e nem passaporte. A mobilização para arrecadar dinheiro para a viagem chegou a um hospital particular que pagou passagem e hospedagem da enxadrista

Texto e foto: Cledivânia Pereira

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Heading 3

Nessa história, o que menos importa é o resultado das partidas. A rotina dela ainda é puxada: trabalha das 7h às 19h, tem um filho de cinco anos e ainda vai começar a faculdade. Mas a cabeça é cheia de sonhos - todos envolvendo o xadrez!

Click abaixo que a gente conta!

Quer saber mais sobre o RN?

Produção WebStories: Cledivânia Pereira

saibamais.jor.br