Roda Viva: Ciro Gomes descarta aliança com PT, elogia Marina e sugere aliança do PCC com Alckmin
Natal, RN 20 de jun 2024

Roda Viva: Ciro Gomes descarta aliança com PT, elogia Marina e sugere aliança do PCC com Alckmin

29 de maio de 2018
Roda Viva: Ciro Gomes descarta aliança com PT, elogia Marina e sugere aliança do PCC com Alckmin

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O pré-candidato à presidência da República Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta segunda-feira (29), em entrevista ao programa Roda Viva, que não fará aliança com o PT no primeiro turno, elogiou a concorrente Marina Silva e afirmou que, para continuar vendendo drogas, o Primeiro Comando da Capital fez um acordo com “autoridades de São Paulo”.

O ex-governador do Ceará classificou como “lamentável” a impossibilidade de união com os petistas e responsabilizou “a natureza do PT” pelos caminhos diferentes que, segundo ele, os dois partidos tomarão nas eleições.

- (não fazer aliança com o PT) expõe o país a um risco.

Questionado sobre declarações recentes de dirigentes do PT que não vêm chances da união com ele numa chapa majoritária, Ciro Gomes comparou a direita com um setor do Partido dos Trabalhadores:

- Quem têm medo dessa aliança (PDT e PT): a direita e a burocracia do PT, que está doida para eleger deputado.

Durante a entrevista, Ciro afirmou que Marina Silva (Rede) é uma “pessoa do bem”, mas ressaltou que as pesquisas, que apontam a ex-senadora em 2º lugar num cenário sem Lula, são um retrato do momento.

- Marina é uma pessoa do bem. (Se os eleitores optarem por ela) teremos alguns valores garantidos, como a decência. Mas falta o mínimo de estrutura e de traquejo. Ela está num justíssimo lugar. Mas a vida não é retrato, a vida é filme.

Ao final do programa, quando questionado sobre o projeto de segurança pública de seu eventual governo, o pré-candidato pelo PDT levantou o debate sobre narcotráfico e destacou que o PCC fez um acordo com autoridades de São Paulo para reduzir o número de homicídios em troca de “liberdade” para continuar comercializando drogas.

- Não posso citar nomes porque não posso provar, mas está claro que houve um acordo do PCC com autoridades de São Paulo. 

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.