OPINIÃO

Em terra de presidente genocida, homofóbico é “homem de valores”

Esse homofóbico, portanto, criminoso, jogador de vôlei perdeu o emprego e tudo indica, a vaga na seleção brasileira. Mas é muito pouca punição. Daqui alguns dias está de contrato em outro lugar e seu crime é esquecido, fica impune, afinal tem sido assim. Enquanto isso as agressões, perseguições, discriminação e assassinatos, sim, muitos mortos pela opção sexual, tudo isso continua.

Guardem esse nome: Maurício de Souza, homofóbico que, no seu perfil de 300 mil seguidores no instagram propaga a homofobia, semeia as sementes podres de ódio. Valores. Esse homofóbico tem o despautério de falar essa palavra. Certamente, ele não sabe o real significado da palavra valores?

Alienados doentes, “frágeis héteros”, como bem colocou o Douglas, atleta da seleção,  continuam a cruzada do mal, da discriminação, do incentivo ao ódio, à violência. O pior é que não estão sozinhos. Nas redes sociais, três desportistas de renome, deram apoio ao crime e ao criminoso. Dois seres desprezíveis iguais, de currículo e ações são jogadores de futebol – Fred, atacante do Fluminense, e Felipe Melo, defensor do Palmeiras. O outro é um basqueteiro, o Nenê Hilário.

Nenhuma surpresa. O Felipe Melo. A maior aberração do futebol brasileiro se compararmos a bola que ele joga e o salário que ganha, diz que o Maurício é exemplo de homem e, como todo ser hipócrita que age da mesma forma ainda tem a cara de pau de encerrar sua declaração de apoio com o “Deus de te abençõe”. Mas isso é tão falso, nocivo, que causa indignação até mesmo em quem não tem bandeira nenhuma na vida. Em todas as suas declarações, esse brucutu adepto do antijogo, da violência da polêmica vazia e atitudes doentias como dar apoio ao genocida Bolsonaro, acreditem, diz que fala sempre em nome de Deus.

Bem acompanhado o doente hétero mal resolvido do vôlei, não é mesmo? Sua pérola maior é dizer, depois de um pedido de desculpas falso, feito numa rede social que quase nunca utiliza, que vale o legado que vai deixar para filhos e netos. Imaginem os filhos e netos dessa figura doente. Certamente serão, como ele, bolsominions, homofóbicos, machistas e , bem provável, com toda a coleção de defeitos que acompanham quem discrimina LGBTs.

O que dizer do Fred? Outro zero à esquerda. Ridículo ex-jogador em atividade, graças a imbecilidade, ou “sabedoria” de dirigentes, continua se empregando com salários astronômicos e enganando, marcando gols melados de cocô nessas defesas ridículas dos timecos do Brasileiro medíocre que estamos acompanhando e ficando muito mais no DM que em campo.

Vocês bem sabem. Fred some no jogo grande, basta lembrar os “cagaços” da Copa do Mundo e da disputa do Sul Americano, foi vergonha dos torcedores brasileiros amarelando em decisões, perdendo gols e até penalidades. E mesmo assim os obtusos treineiros ainda se deixam enganar com sua bola murcha. Em nenhum lugar do planeta bola, tenho absoluta convicção, ele estaria ainda enganando, mas aqui é Brasil.

E o Nenê, jogador de basquete, também falou em valores. Os deles, claro. “Irmão, nunca de ninguém remover os nossos valores (sic) Tamo junto e se Deus é por nós, quem será contra nós? Vencendo para todo sempre Cristo, família e o próximo!”, escreveu o jogador de basquete. É preciso ter um vomitório por perto ao ler essas sandices repulsivas.

Esse também, claro, falando o nome de Deus em vão. Assim como na  frase do palmeirense Felipe Melo: “Você é um homem de valor, conte sempre comigo. Deus abençoe você e os seus”, escreveu o palmeirense.

“Homem de valor”?

Vejam como pensam iguais esses dementes. O Fred disse que era loucura o que estava acontecendo com o homofóbico, tornando-o vítima na história. Afirmou numa publicação ser uma loucura o que estava acontecendo com ele. “Que loucura! Deus te abençoe!” Perceberam?  Também tem Deus na jogada.

Será que Palmeiras e Fluminense vão ficar indiferentes às declarações de dois seus atletas apoiando crime de homofobia? Será que o exemplo da Fiat, de Renan Dal Zotto, treinador da seleção, não vai ser seguido pelas direções dos clubes? A cada dia me envergonho mais de ter dedicado toda a minha vida ao futebol. Não existe um nicho para abrigar tantas figuras abomináveis.

Por fim, só para ficar mais ilustrado, sabem quem mais ficou do lado do criminoso do voleibol? Não poderia ser diferente, figuras do mais alto nível de imbecilidade, demência, contumazes agressores dos direitos humanos, vermes insanos do tipo de Sikêra JR e o corrupto da rachadinha Flávio Bolsonaro, o secretário de cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias, e um tal de Coronel Sandro, político do PSL mineiro, e outros cancros menos votados.
Portanto, nada mais precisa ser dito.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Edmo Sinedino é jornalista, ex-jogador de futebol e escreve aos domingos