Quando o poeta e o palhaço se encontram: Daniel Minchoni lança livro Phala’cia em Natal, nesta quinta (29)
Natal, RN 13 de abr 2024

Quando o poeta e o palhaço se encontram: Daniel Minchoni lança livro Phala'cia em Natal, nesta quinta (29)

29 de dezembro de 2022
6min
Quando o poeta e o palhaço se encontram: Daniel Minchoni lança livro Phala'cia em Natal, nesta quinta (29)

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O escritor Daniel Minchoni está de volta a Natal, onde lança seu novo livro de poemas. Phala’cia parte da sua experiência 20 anos como poeta da fala e é fruto de sua pesquisa para a especialização, trazendo reflexões sobre as figuras do poeta e do palhaço através de representações gráficas ousadas e inovadoras. O lançamento será nesta quinta-feira (29), às 19h22, no Mahalila Café.

O livro é um ensaio poético experimental em que Minchoni aplica suas técnicas como poeta, palhaço, agitador cultural e artista visual. Livremente inspirado no Manifesto Antropófago, de Oswald de Andrade, que celebrava o multiculturalismo e clamava aos artistas brasileiros por originalidade e criatividade, Phala’cia apresenta o manifesto da Semana de Arte Badernista, assim como diversos poemas visuais que criam uma interação única entre leitor e livro. 

Daniel Minchoni é conhecido na cena de sarau e da poesia contemporânea, onde atua desde 1998 em Natal, tendo sido um dos fundadores dos Jovens Escribas, em 2004, e do sarau Poesia Esporte Clube, em 2001. Em São Paulo desde 2009, organiza o Sarau do Burro, espaço para livre experimentação poética. Também atua como arte-educador na Casa das Rosas e é artista de rua. O novo livro é publicado em parceria entre os selos Baladeyra e Do Burro. 

A Agência SAIBA MAIS bateu um papo com Minchoni, que falou sobre o novo livro, o papel social provocativo do palhaço e do poeta, as expectativas para o lançamento de Phala’cia, outros projetos, o cenário político atual do Brasil para a classe artística e expectativas para o futuro. Confira:

- SAIBA MAIS: O que as pessoas podem esperar de PHALA’CIA?

Phala'cia é um livro performance fruto de uma pesquisa para a especialização. Parte de um ensaio poético que traça paralelos da minha pesquisa em que situo o poeta e o palhaço no mesmo campo. Ele é bem experimental na forma, pois a forma é conteúdo e conteúdo exige isso. Tem por intenção ou estudo trazer para a linguagem visual um sarau ou slam, propondo como as diversas formas de falar poemas, que sempre pautaram minha poesia, se comportariam numa tradução intersemiótica ou transdisciplinar, para o livro.

- SAIBA MAIS: De que forma o poeta e o palhaço se encontram na obra?

Em minha pesquisa, o poeta e palhaço se encontram na expansão do eu e também no papel social provocador que ambos ocupam na sociedade. Para tanto, é importante uma parabolazinha: já fui "xingado" tanto de poeta, quanto de palhaço. Pensar e agir diferente incomoda as pessoas e, muitas vezes, isso é usado para desqualificar ou inferiorizar por algumas pessoas. Numa dessas ocasiões, o termo poeta foi usado para desqualificar minha visão, num debate sério, por insinuar que meu exercício de sonhar era um devaneio romântico e não uma possibilidade de construção utópica ou mesmo palpável. Nesse dia, comecei a refletir e traçar paralelos entre minha poesia e todo meu repertório como palhaço. Rememorando essa história e cruzando com outras, percebi que tanto os poetas quanto os palhaços incomodam as pessoas justamente por apontarem para elas suas contradições e hipocrisias ou as mazelas sociais que nos permeiam. E que muitas vezes eles apresentam críticas ou crônicas que deveriam gerar reflexão, mas que, em autodefesa, geram repulsa e por isso as pessoas tendem a xingá-los, quando na verdade deveriam tentar refletir sobre os pontos que questionam. Resumindo ou complementando: sou um poeta palhaço e um palhaço poeta.

- SAIBA MAIS: O que você está preparando para o lançamento? 

O lançamento será uma noite descontraída com diversas pessoas amigas da cena poética de Natal, uma ocasião pra relembrar o meu vínculo com Natal. Foi aqui que meu jeito de fazer poesia se moldou, muito influenciado pelos encontros na SPVA-RN e depois pelo POESIA ESPORTE CLUBE.Nessa noite, teremos o insurgências poéticas - sarau que muito admiro -, o menor slam do mundo, sarau do burro, mas especialmente bastante espaço para ouvirmos poesias de diversas maneiras. E o livro estará lá também como mais um forma de pensarmos na poesia.

- SAIBA MAIS: O que é o Menor Slam do Mundo? 

Slams são batalhas de poesia que acontecem no mundo inteiro. Foi criado nos Estados Unidos nos anos 80 por Marc Smith e trazido para o Brasil em 2008, por Roberta Estrela Dalva e Núcleo Bartholomeu de Depoimentos. Essas "batalhas" tem algumas regras comuns ao mundo todo: poemas autorais de até 3 minutos, performados sem acompanhamentos musicais ou figurinos, e são avaliados por um júri escolhido na hora. Essas são as regras mais básicas a todas as comunidades. Participo ativamente dessa cena desde a primeira edição e, em 2012, criei o Menor Slam do Mundo, que muda uma dessas regras: os poemas são mais curtos, tem até 10 segundos, então explora a capacidade de síntese e saber dizer o não dito. As pessoas se inscrevem na hora e tem uma premiação em livros. Basicamente é isso, mas ao vivo é muito mais. E um enorme motivo para a gente partilhar a palavra e a poesia e inventar formas de nos divertir e estarmos juntez.

- SAIBA MAIS: Além de escritor, você também é arte-educador e artista visual. Como avalia o cenário nacional hoje para a classe artística?

Estamos saindo de uma era tenebrosa, com um desmonte imenso da cultura e com uma imensa marginalização. Mas o cenário é de esperança, pois as novas políticas públicas apresentam um olhar central para a cultura e para a educação, de valorização, como deve ser num país onde tem como marca sua cultura e diversidade. Então, a expectativa é que a cultura, que é um mercado ativo e virtuoso, retome um olhar ampliado de políticas e de formas de estímulo e fomento, fortalecendo e valorizando seus trabalhadores, mas principalmente, entregando pra sociedade um benefício inestimável, dos produtos que são criados por esse segmento e que são tão importantes na vida e formação de nosso povo.

SERVIÇO:
Lançamento do livro Phala’cia, de Daniel Minchoni
Quando? Quinta-feira (29)
A que horas? 19h22
Onde? no Mahalila Café e Livros (Rua Dra. Nívea Madruga, 19 – Potilândia)
Preço do livro: R$ 45

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.