Filme que aborda lutas do povo indígena Krahô será exibido em Natal
Natal, RN 17 de jul 2024

Filme que aborda lutas do povo indígena Krahô será exibido em Natal

26 de junho de 2024
5min
Filme que aborda lutas do povo indígena Krahô será exibido em Natal
Documentário aborda as últimas oito décadas do povo indígena Krahô. Foto: divulgação

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O filme A flor do buriti, distribuído pela Embaúba Filmes, entra no circuito comercial de algumas cidades no dia 4 de julho. Ele ainda não tem estreia prevista em Natal, mas será exibido gratuitamente, em sessão especial de pré-estreia, no auditório 1 do Departamento de Comunicação Social (Decom) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), campus central, na próxima segunda-feira, 01, às 15h.

Dirigido por João Salaviza e Renée Nader Messora, o documentário aborda os últimos 80 anos do povo indígena Krahô, na comunidade da aldeia Pedra Branca. O filme conta a história de duas crianças do povo Krahô que, em 1940, encontram na escuridão da floresta um boi perigosamente perto da sua aldeia. Era o prenúncio de um brutal massacre, realizado pelos fazendeiros da região. Em 1969, os filhos dos sobreviventes são coagidos a integrar uma unidade militar, durante a ditadura brasileira. 

A flor do buriti aborda como as violências continuam presentes na memória das novas gerações, que ainda resistem e se mobilizam pela Terra Indígena Kraholândia, no Tocantins. Hoje, diante de velhas e novas ameaças, os Krahô continuam a caminhar sobre a sua terra sangrada, reinventando, a cada dia, infinitas formas de resistência.

Exibição de "A flor do buriti" em Natal será aberta ao público. Foto: divulgação

O filme, que levou o Prêmio de Melhor Equipe da mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes 2023, é uma produção Portugal/ Brasil (2023), com 125min de duração. A classificação indicativa é de 12 anos.

Conheça os diretores

João Salaviza

João Salaviza (1984) estudou Cinema na Escola de Cinema e Teatro de Lisboa e na Universidad del Cine de Buenos Aires. Seu primeiro curta-metragem ARENA recebeu a Palma de Ouro do Festival de Cannes (2009). Seu segundo curta-metragem RAFA (2012) recebeu o Urso de Ouro de Melhor Curta na Berlinale. João lançou também os curtas-metragens Altas Cidades de Ossadas (2017) e Russa (2018) na Competição Oficial da Berlinale. Seu primeiro longa-metragem, Monatanha, teve sua premiere mundial no Festival de Veneza (Semana da Crítica) em 2015. 

Desde então, ele vive entre Portugal e Brasil com os indígenas Krahô. Em 2018, Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos (co-dirigido com Renée Nader Messora) teve sua premiére no Festival de Cannes e recebeu o Prêmio Especial do Júri da secção Un Certain Regard. O filme foi distribuído comercialmente em vários países, com destaque para a França, onde foi visto por mais de 45.000 espectadores. 

Em 2023, ele estreia o longa-metragem A Flor do Buriti (co-dirigido com Renée Nader Messora) novamente no Festival de Cannes - Un Certain Regard. Filmado ao longo de 15 meses na Terra Indígena Krahô, A Flor do Buriti recebeu o Prêmio Ensemble, em reconhecimento ao elenco e à equipe do filme.

Renée Nader Massora

Renée Nader Messora (1979) graduou-se em Cinematografia na Universidad del Cine, em Buenos Aires. Por 15 anos, Renée trabalhou como assistente de direção em diferentes projetos no Brasil, Argentina e Portugal, incluindo Montanha (2015), primeiro longa-metragem do diretor João Salaviza. Ela foi diretora de fotografia do curta-metragem Pohí, por meio do qual conheceu os Krahô.

Desde então ela tem trabalhado com a comunidade, contribuindo para a organização de um coletivo de jovens cineastas que usam o cinema como ferramenta para fortalecer a identidade cultural e a autodeterminação do povo Krahô. Em 2017, Renée foi diretora de fotografia do curta-metragem Russa (2018), dirigido por Ricardo Alves Jr. e João Salaviza, que teve sua estreia mundial na Competição Oficial da Berlinale.

Ainda em 2018, seu primeiro longa-metragem Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos (co-dirigido com João Salaviza) teve sua estreia mundial no Festival de Cannes e recebeu o Prêmio Especial do Júri - Un Certain Regard.

Serviço

O quê? Sessão especial de pré-estreia do filme "A Flor do Buriti" em Natal;

Quando? 01 de julho de 2024, segunda-feira, às 15h;

Onde? Auditório 1 do Labcom - UFRN, campus central;

Apoio: Grupo de Investigações sobre Linguagem, Memória e Representação (GILMAR) da UFRN; Grupo de Pesquisa em Economia Política do Audiovisual (EPA) da UFRN; Departamento de Comunicação Social (Decom/UFRN).

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.