Robinson sairá e PL vai perder metade da bancada federal eleita no RN
Natal, RN 15 de jul 2024

Robinson sairá e PL vai perder metade da bancada federal eleita no RN

26 de junho de 2024
4min
Robinson sairá e PL vai perder metade da bancada federal eleita no RN
Foto: Vinicius Loures / Câmara dos Deputados

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O deputado federal Robinson Faria está de saída do Partido Liberal. A informação foi adiantada pelo presidente estadual da legenda, o senador licenciado Rogério Marinho, em entrevista à 98 FM, e confirmada pela Agência Saiba Mais por meio do processo de desfiliação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O motivo para a mudança seria o deputado votar alinhado com o PT.

Robinson já recebeu a carta de anuência para a desfiliação e já tem conversado com uma nova sigla, mas Rogério preferiu não dizer qual seria. Com isso, o PL vai perder metade da bancada federal conquistada em 2022, com quatro deputados. Em outubro do ano passado, João Maia saiu alegando “convivência partidária insustentável”. Com a saída de Robinson e antes de Maia, sobram General Girão e Sargento Gonçalves, da ala mais identificada fortemente com o ex-presidente Jair Bolsonaro.

A ação judicial de desfiliação partidária no TSE iniciou em 8 de maio, quando o advogado de Robinson, Felipe Augusto Cortez Meira de Medeiros, anexou o estatuto do PL e o arquivo da página do deputado na Câmara dos Deputados, comprovando que ele é detentor de mandato parlamentar.

Já em 20 de maio, a ministra Cármen Lúcia deu prosseguimento ao processo, relatando que Faria obteve do próprio partido a autorização para se desfiliar, e que o parlamentar pediu a desfiliação do PL sem a perda do seu mandato de deputado federal.

Na entrevista à 98 FM, Marinho falou sobre a saída tanto de Robinson quanto de João Maia e a anuência para a desfiliação de ambos.

“Isso foi feito entendendo a particularidade, a peculiaridade, a forma como os deputados têm atuado, porque eles têm votado no Congresso Nacional alinhados com o atual governo do Partido dos Trabalhadores”, afirmou.

“Ele [Robinson] já me comunicou qual o partido que ele iria, não sei se vai se materializar. Mas nós demos a anuência. Isso não significa que haverá nenhuma ruptura de relacionamento pessoal. Nós podemos até nos encontrar numa candidatura majoritária no futuro, mas ele está se sentindo mais confortável em votar nos projetos que o governo do PT tem apresentado e para ele é mais conveniente, claro, fazê-lo de uma forma aberta, sem a preocupação de estar sendo monitorado ou pressionado de uma forma diferente”, disse, em outro trecho da entrevista.

Em nota, Robinson Faria informou que sua saída do PL se dá de forma consensual e amigável.

"Todas as tratativas foram feitas em acordo com o presidente nacional, Valdemar Costa Neto. Da mesma forma, também mantive diálogo com o presidente estadual da legenda, senador Rogério Marinho", comunicou.

"Meu voto na Câmara nunca teve nem terá conotação unicamente partidária. Minha atuação parlamentar seguirá de forma alinhada ao que acredito e defendo, como fiz ao longo deste mandato federal e de toda minha vida pública", continuou o deputado.

Pai do ex-ministro de Bolsonaro, Fábio Faria, Robinson esteve alinhado às pautas e projetos defendidos pelo governo Lula em 71% das votações no Congresso. Os dados são do Radar do Congresso, ferramenta de transparência criada pelo site Congresso em Foco. João Maia, hoje no PP, possui um nível de 82% de governismo, enquanto Girão votou com o governo Lula em 49% das votações e Gonçalves, em 39%, segundo a mesma plataforma.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.