Idema quer criar 1ª Unidade de Conservação no RN para proteção de aves silvestres presentes na Caatinga
Natal, RN 23 de abr 2024

Idema quer criar 1ª Unidade de Conservação no RN para proteção de aves silvestres presentes na Caatinga

28 de novembro de 2022
4min
Idema quer criar 1ª Unidade de Conservação no RN para proteção de aves silvestres presentes na Caatinga

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A proposta do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) é de fazer de uma área de mais de 12 mil hectares (12.356), localizada nos municípios de Cerro Corá, São Tomé e Currais Novos, no interior do Rio Grande do Norte, uma nova Unidade de Conservação Estadual (UC), denominada Refúgio da Vida Silvestre.

O Rio Grande do Norte já possui algumas áreas de conservação ambiental com a presença de Caatinga, como o Monumento Natural Cavernas de Martins (Mona); o Parque Ecológico Pico do Cabugy, localizado no município de Angicos (divisa com os municípios de Lajes e Fernando Pedroza); e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual (RDS) Ponta do Tubarão, nos municípios de Macau e Guamaré. No entanto, essa será a primeira Unidade de Conservação que também abrangerá a proteção de aves silvestres.

A região abrange parte das cabeceiras da Bacia Hidrográfica do Rio Potengi, o principal do RN. A sugestão foi publicada na Portaria Nº 447/2022 da última quarta (23), no Diário Oficial do Estado (DOE). O espaço é apontado pelo Ministério do Meio Ambiente como uma das Áreas Prioritárias para Conservação da Caatinga, o bioma de maior extensão no território potiguar, por causa da elevada diversidade biológica presente na região.

Área localizada nos municípios de Cerro Corá, São Tomé e Currais Novos, no interior do Rio Grande do Norte para criação de uma nova Unidade de Conservação Estadual (UC) denominada Refúgio da Vida Silvestre I Ilustração: Idema
Área localizada nos municípios de Cerro Corá, São Tomé e Currais Novos, no interior do Rio Grande do Norte para criação de uma nova Unidade de Conservação Estadual (UC) denominada Refúgio da Vida Silvestre I Ilustração: Idema

Também consideramos na escolha da área a importância da preservação dos recursos hídricos e o combate à desertificação na região semiárida como mecanismo de mitigação dos efeitos do aquecimento global e garantia da segurança hídrica”, comentou o diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, que lembrou que a Caatinga é o bioma menos protegido do Rio Grande do Norte, o que aumenta a importância de alinhar as políticas públicas para conservação da sua biodiversidade com os desafios das mudanças climáticas e da sustentabilidade.

Segundo o coordenador do Núcleo de Unidades de Conservação (NUC) do Idema, Ilton Soares, esta é a primeira Unidade de Conservação desta categoria no estado.

Esta categoria permite a presença de comunidades humanas, uma oportunidade para atividades sustentáveis, como ecoturismo e manejo do solo”, explicou.

A região representa a porção mais preservada de Caatinga do Seridó, com cerca de 230 espécies de aves, sendo várias exclusivas do bioma e outras ameaçadas de extinção ou raras, detalhou o professor do Departamento de Botânica e Zoologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Mauro Pichorim.

Além disso, a área é predominantemente composta por encostas de serras, ambiente que mantém a melhor representatividade da biodiversidade local quando comparado aos platôs mais altos e às áreas baixas de planície. Até o momento, essa região é o único local conhecido de ocorrência de arara-maracanã (Primolius maracana) e papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva) no RN”, esclareceu o professor.

Ao todo, o RN possui, atualmente, 253 mil hectares em Unidades de Conservação Estaduais, o que corresponde a 2,41% de seu território. Estas unidades protegem 2,14% da área continental e 14,53% da área marinha do estado.

Próximos passos...

Após a publicação da portaria, o Idema dará continuidade ao processo de criação do Refúgio da Vida Silvestre com a publicação dos estudos técnicos e encaminhamento da proposta para ampla discussão da sociedade e órgãos públicos, através de consulta e audiência públicas.

aves silvestres, caatinga, idema Foto: Jorge Dantas
Foto: Jorge Dantas

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.