Homens do Nordeste são os menos engajados em afazeres domésticos
Natal, RN 30 de mai 2024

Homens do Nordeste são os menos engajados em afazeres domésticos

14 de agosto de 2023
4min
Homens do Nordeste são os menos engajados em afazeres domésticos

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

No Nordeste, a taxa de homens que realizam afazeres domésticos é a menor entre as regiões, ficando em 71,6%. As mulheres atingem o índice de 89,7%. No total, com a média de homens e mulheres trabalhando em serviços da própria casa ou de parentes, o percentual também é o menor, 81,1%. A média nacional é de 85,4%.

Os dados são do tema Outras Formas de Trabalho, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua 2022, do IBGE, que levantou informações sobre cuidado de pessoas, afazeres domésticos, produção para o próprio consumo e trabalho voluntário.

As atividades consideradas como afazeres domésticos são agrupadas em oito conjuntos: preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar louça; cuidar da limpeza ou manutenção de roupas e sapatos; fazer pequenos reparos ou manutenção do domicílio, do automóvel, de eletrodomésticos ou outros equipamentos; limpar ou arrumar o domicílio, a garagem, o quintal ou o jardim; cuidar da organização do domicílio (pagar contas, contratar serviços, orientar empregados); fazer compras ou pesquisar preços de bens para o domicílio; cuidar dos animais domésticos; e outras tarefas domésticas.

Em 2022, 148,1 milhões de pessoas de 14 anos ou mais de idade realizaram afazeres domésticos no próprio domicílio ou em domicílio de parente. Em todo o Brasil, enquanto 91,3% das mulheres realizaram alguma atividade relacionada a afazeres domésticos, essa proporção foi 79,2% entre os homens em 2022.

Por idade

De acordo com o IBGE, a taxa de realização de afazeres domésticos variou, conforme os grupos de idade, de 77,6%, entre os jovens de 14 a 24 anos, a 89,3%, entre os adultos de 25 a 49 anos. Ainda que com taxas menores para os homens, essa tendência foi observada tanto para os homens quanto para as mulheres. A menor taxa de realização ocorreu entre os homens de 14 a 24 anos (69,3%), e a maior, entre as mulheres de 25 a 49 anos (95,1%). O grupo de mulheres de 50 anos ou mais de idade foi o que apresentou a maior redução da taxa de realização entre 2019 e 2022 (-1,7 p.p.).

Mulheres pretas

A análise por cor ou raça mostra que, em 2022, 86,6% das pessoas pretas e 85,6% das brancas faziam afazeres domésticos no domicílio ou em domicílio de parente, enquanto entre as pardas esse percentual era 85,0%.

A maior taxa de realização ocorreu entre as mulheres pretas (92,7%), e a menor, entre os homens pardos (78%).

Instrução

Também se observou que a realização de afazeres domésticos aumenta conforme cresce o nível de instrução, sobretudo entre os homens. Em 2022, a taxa de realização foi 81% entre as pessoas sem instrução ou com fundamental incompleto e 90,2% entre aquelas com superior completo, o que significa uma diferença de 9,2 p.p.

Considerando-se os homens, a diferença entre a taxa de realização daqueles com menor instrução e a daqueles com superior completo situou-se em 11,8 p. p., enquanto entre as mulheres essa diferença foi 5,2 p.p. No período entre 2019 e 2022, o grupo de mulheres sem instrução oucom fundamental incompleto apresentou a maior diminuição dessa taxa (2,0 p.p.).

Parentesco

A análise indica que filhos ou enteados apresentaram as menores taxas de realização de afazeres domésticos (74,4% no total, 67% entre os homens, e 83,8% entre as mulheres).

Quando se comparam as taxas de realização por sexo e condição no domicílio, observa-seque a diferença entre homens e mulheres foi maior na condição de cônjuge ou companheiro(a) (13,7 p.p. a mais para as mulheres) do que na condição de responsável pelo domicílio (7,9 p.p. a mais para as mulheres), e ainda maior na condição de filho(a) ou enteado(a) (16,8 p.p. a mais para as mulheres).

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.