Justiça da Bahia mantém prisão preventiva de Wendel Lagartixa
Natal, RN 28 de mai 2024

Justiça da Bahia mantém prisão preventiva de Wendel Lagartixa

13 de maio de 2024
3min
Justiça da Bahia mantém prisão preventiva de Wendel Lagartixa

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A justiça da Bahia decidiu em audiência de custódia que o policial militar da reserva do RN Wendel Fagner Cortez de Almeida, o Wendel Lagartixa, vai continuar preso. A decisão pela prisão preventiva em uma unidade militar foi do juiz Leonardo Coelho Bomfim, da comarca de Vitória da Conquista (BA).

O militar da reserva foi preso sexta-feira (10), por porte ilegal de uma arma encontrada no veículo em que viajava. No dia seguinte após a prisão, a justiça da Bahia chegou a converter a prisão em flagrante em liberdade provisória, após análise das informações sobre a apreensão da arma. Após contato com o MInistério Público do Rio Grande do Norte, a justiça revogou a liberdade.

A decisão da prisão levou em consideração um relatório do MPRN, que descreve Wendel Fagner Cortez de Almeida como um indivíduo perigoso e com histórico de prática de crimes e cita diversas investigações em andamento.

Policial da reserva é inelegível e não pode tomar posse como deputado

Nas eleições de 2022, Wendel obteve Lagartixa, que teve a maior votação da Assembleia do RN (88.260 votos), mas foi considerado inelegível pelo TSE. Lagartixa teve sua inelegibilidade confirmada depois de uma ação do Ministério Público Eleitoral, na qual se apontava que os oito anos de inelegibilidade após o cumprimento da pena não haviam sido respeitados.

Na decisão inicial, Lewandowski destacou que “o crime pelo qual Wendel Fagner Cortez de Almeida foi condenado – posse de munição de uso restrito – é classificado como hediondo. Não tendo ainda transcorrido o prazo de 8 anos desde a extinção da punibilidade pelo cumprimento da pena, que se deu em 4/6/2021, imperioso se faz o reconhecimento da sua inelegibilidade”.

“Diante do exposto, dou provimento ao recurso ordinário, nos termos do art. 36, § 7º, do RITSE, para indeferir o registro de candidatura de Wendel Fagner Cortez de Almeida”, concluiu Lewandowski no documento que menciona que ao recorrer da impugnação, o candidato estava privado de liberdade em razão de mandado de prisão temporária, “em decorrência de sua possível participação em três homicídios”.

Lagartixa recorreu da decisão com um pedido de agravo. Lewandowski manteve a decisão, mas o Pleno do TSE votou pela manutenção da decisão.

Crimes

Condenado por crime hediondo, em posse de Lagartixa, foram encontrados: um colete e duas placas de colete balístico; duas munições de calibre .40; um cartucho calibre .12; 30 munições de calibre .380; três carregadores de calibre .380; e um carregador calibre .40; todos com prolongador. O arsenal corrobora para outras crimes dos quais Lagartixa é acusado: homicídio simples e homicídio qualificado.

Em 2013, Wendel Lagartixa foi preso na Operação Hecatombe, da Polícia Federal, acusado de participar de um grupo de extermínio. A soltura só veio porque o prazo de prisão preventiva extrapolou. Além disso, ele já esteve envolvido em outras investigações, como a Operação Fronteira, conduzida pela Polícia Civil.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.