Mais de duas mil vidas no RN poderiam ter sido salvas com vacina, aponta Lais
Natal, RN 22 de abr 2024

Mais de duas mil vidas no RN poderiam ter sido salvas com vacina, aponta Lais

27 de janeiro de 2022
3min
Mais de duas mil vidas no RN poderiam ter sido salvas com vacina, aponta Lais

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A vacinação de pessoas com comorbidades poderia ter salvo mais de duas vidas apenas no Rio Grande do Norte, de acordo com levantamento feito pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN).

O percentual de óbitos passa dos 94% entre pacientes que apresentavam qualquer tipo de comorbidade e que não se vacinaram ou não completaram o esquema vacinal. Em 70,58% dos casos, o paciente não estava imunizado. A análise foi feita com dados coletados a partir do dia 19 de janeiro de 2021, data em que teve início a imunização no RN contra a covid-19.

A vacina também fez diferença entre as pessoas que não apresentam comorbidades. Durante esse mesmo período, foram registradas 176 mortes entre pessoas não vacinadas ou que tomaram apenas a primeira dose do imunizante, o que representa 86,70% dos óbitos por covid no estado. De maneira similar, o percentual de internados supera a casa dos 84%.

Isso significa que, caso todas as pessoas internadas com comorbidades, em UTI covid-19, estivessem completamente vacinadas, o RN teria possivelmente menos 2.122 óbitos hoje”, avalia o diretor executivo do LAIS, Ricardo Valentim.

De 9.063 internações registradas no sistema Regula RN em leitos clínicos e críticos (semi-intensivos e UTI’s), 7.701 eram de pacientes não vacinados ou imunizados com apenas uma dose. Do total de 3.208 óbitos, 2.265 eram de pessoas não vacinadas.

Entre os indivíduos com comorbidades, dos 3.032 (94,51%) óbitos do período da pesquisa, 2.140 (70,58%) foram de pessoas não vacinadas e 892 (29,42%) de pessoas que tinham recebido a vacina contra a covid-19.

Já entre as pessoas sem comorbidades, dos 203 óbitos registrados, 27 (13,30%) tinham recebido a segunda dose (D2) e 176 (86,70%) não tinha se vacinado ou recebido apenas a D1.

Estatística

Total de internações registradas: 9.063 (em alguns casos, um mesmo paciente pode ser computado duas vezes, com a transferência entre leitos clínicos e críticos)

Total de óbitos registrados: 3.208

Total de internados não vacinados ou com somente uma dose: 7.701 (84,74%)

Total de óbitos entre não vacinados: 2.265 (86%)

Indivíduos com comorbidades

Total de óbitos entre pessoas com comorbidades: 3.032 (94,51%)

Total de óbitos entre pessoas não vacinadas com comorbidades: 2.140 (70,58%)

Total de óbitos entre pessoas vacinadas com comorbidades: 892 (29,42%)

Indivíduos sem comorbidades

Total de óbitos entre pessoas sem comorbidades: 203

Total de óbitos entre vacinados sem comorbidades com a D2: 27 (13,30%)

Total de óbitos entre pessoas não vacinadas sem comorbidades ou que tomaram somente a D1: 176 (86,70%)

RN tem mais de 220 mil pessoas com D2 atrasada

Até a segunda (24), a  plataforma RN Mais Vacina registrava um total de 222.435 pessoas com a segunda dose (D2) da vacina contra a covid-19 em atraso. A maior quantidade de atrasos estava em Natal (65.994 pessoas) e em Mossoró (18.661 pessoas). Além da segunda dose, também há registros de atrasos na dose de reforço (D3).

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.