DEMOCRACIA

Candidata trans, Thabatta Pimenta é vítima de transfobia no shopping Via Direta, em Natal

A candidata a deputada federal, Thabatta Pimenta (PSB), foi vítima de transfobia ao tentar usar o banheiro feminino do shopping Via Direta, em Natal. O episódio aconteceu na manhã desta terça-feira (20).

Segundo a candidata, que também é vereadora do município de Carnaúba dos Dantas, ela fazia uma panfletagem no circular da UFRN, ao lado do shopping, quando sentiu necessidade de ir ao banheiro e foi até à unidade. A primeira a ser impedida foi uma militante trans, também da equipe da candidata. 

Em vídeo gravado e postado nas redes sociais, dois seguranças abordam a candidata e dizem que uma mulher teria reclamado da presença de “uma pessoa do sexo masculino” no banheiro. Segundo os funcionários, a ordem de proibição teria vindo da administração do shopping. Os seguranças também perguntaram se Pimenta teria o sexo feminino registrado no RG. 

De acordo com a candidata, em outro momento os seguranças ainda disseram que ela poderia utilizar o banheiro feminino, mas se outra pessoa reclamasse, teriam que chamar a polícia. A candidata disse também que o shopping não se retratou. “Nada, ainda nada. Nem desculpa eles pediram lá, foi super constrangedor. Disseram que era ‘mimimi’ da gente, foram altos absurdos, aí disseram que a gente tinha que mostrar RG. Foi uma coisa pior do que a outra”, afirma.

O shopping Via Direta é um dos estabelecimentos comerciais que exibem cartazes contra a LGBTfobia. O projeto de lei de autoria do ex-deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL) estabelece a fixação de placas informativas, em estabelecimentos públicos e privados, sobre a Lei Estadual 9036/2007, que proíbe e pune atos discriminatórios em virtude de orientação sexual e identidade de gênero.

“Discriminação por orientação sexual e identidade de gênero é ilegal e acarreta multa”, diz a mensagem pregada no shopping. “Os cartazes são só de enfeite, porque eles não levam em consideração nenhuma”, reclama a vereadora.

“O que me entristece é saber que a gente está querendo o mínimo. Já basta o preconceito que eu estou lidando na própria política”, lamenta. “E é porque eu sou figura pública, mas imagine com outras [mulheres trans]”. Ela prometeu registrar um Boletim de Ocorrência nesta terça (20) contra o estabelecimento.

Segundo Pimenta, a transfobia ao tentar utilizar um banheiro do seu gênero foi o primeiro nesta campanha, mas já ocorreu outras vezes. “Isso é uma coisa que acontece sempre com as pessoas trans. É muito constrangedor”. 

Procurado, a administração do shopping Via Direta disse em nota que está “ciente da situação ocorrida hoje pela manhã e os fatos estão sendo averiguados”. A unidade também afirmou que repudia “toda forma de preconceito e discriminação”. 

Veja o vídeo:

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo