DEMOCRACIA

Interventores nomeados por Bolsonaro em instituições federais de ensino criam associação de reitores paralela

Os cinco reitores nomeados por Jair Bolsonaro em 2021, mesmo perdendo as eleições internas, para dirigir instituições federais de ensino fundaram nesta quinta-feira (3) uma associação paralela para representar as universidades junto ao Ministério da Educação. A Associação dos Reitores das Universidades do Brasil, a AFEBRAS, nasce fazendo frente a Andifes, principal entidade que reúne os dirigentes das instituições.

A presidência ficará sob a responsabilidade o reitor da Universidade Federal do Ceará José Candido Lustosa Bittencourt de Albuquerque. Já a secretaria-executiva será ocupada pela potiguar Ludimila Serafim, reitora da UFERSA. Ela foi a terceira colocada nas eleições, mas ganhou o cargo do presidente Bolsonaro.

“A AFEBRAS tem a sua importância por proporcionar diálogo com as demais associações com um trabalho focado no desenvolvimento das universidades. É uma entidade que surge para somar”, considerou a reitora Ludimilla.

Em julho de 2021, cinco reitores nomeados pelo presidente da República à revelia da escolha do processo eleitoral nas universidades pediram desfiliação da Andifes. Foram eles: Ludimila Serafim (UFERSA), José Cândido Lustosa Bittencourt de Albuquerque (UFC), Edson da Costa Bortoni (UNIFEI), Janir Alves Soares (UFVJM) e Carlos André Bulhões Mendes (UFRGS).

Na assembleia realizada hoje, os reitores aprovaram por unanimidade a constituição da nova Associação, criaram o Estatuto Social e também elegeram os membros para os órgãos da administração da AFEBRAS. Para o Conselho Fiscal foram eleitos os reitores Herdjania Veras Lima, reitora da Universidade Federal da Amazonas (UFRA); Paulo César Fagundes Neves, reitor da Universidade Federal do Vale São Francisco (UNIVASF) e, Janir Alves Soares, reitor da Universidade Federal dos Vales de Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), para um mandato de dois anos.

A AFEBRAS contará com um quadro funcional composto por um administrador e um assistente administrativo. A Assembleia Geral também estabeleceu contribuição anual para instituições de R$ 10 mil, R$ 12.500,00 e, R$ 15.000,00, respectivamente, para as universidades com até 12 mil alunos, maior que 12 e a 20 mil alunos e, superior a 20 mil alunos.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"