CIDADANIA

Mãe Luiza Acessível: festivais internacionais selecionam documentário sobre projeto social de arquitetura de Natal

O minidocumentário “Mãe Luiza Acessível – melhorias habitacionais para inclusão” (2021), de Jayne Pereira, que registra o projeto de mesmo nome executado em Natal, Rio Grande do Norte, foi selecionado pelo Festival Internacional de Cinema, Arquitetura e Urbanismo de Istambul 2022 (Instanbul International Architecture and Urban Films Festival 2022), realizado de 3 a 8 de outubro.

O festival é realizado pela Câmara de Arquitetos de Istambul e busca incentivar novas produções dessa área, bem como apresentar ao público filmes aclamados nesse campo.

O filme também foi selecionado pelo Cinema Urbana – Mostra de Filmes de Arquitetura de Brasília 2022, que vai de 16 a 20 de agosto. Todas as sessões serão transmitidas via Youtube, plataforma onde os apresentadores de trabalhos em vídeo poderão interagir com o público via chat.

O vídeo registra em pouco menos de 14 minutos o projeto de apoio à assistência técnica em habitação de interesse social (ATHIS) patrocinado pelo Conselhos de Arquitetura e Urbanismo do Brasil e do Rio Grande do Norte – CAU/RN e CAU/BR e com parceria do Centro Sócio Pastoral Nossa Senhora da Conceição de Mãe Luiza em Natal (CSPNSC).

Vinte residências onde vivem pessoas com deficiência, com renda familiar de até três salários mínimos, foram contempladas e adaptadas à acessibilidade.

A aclamação do documentário é gratificante e chama atenção para o tema abordado, conta o coordenador do projeto, o arquiteto urbanista Nilberto Gomes: “É o reconhecimento do esforço pra tornar a assistência técnica para habitação de interesse social uma política pública, assim como o SUS, pra ver se a gente consegue reduzir um pouco essas desigualdades”.

“A gente se engaja num trabalho que ocupa o espaço da ausência do Estado, a gente trabalha com um público que a gente pode considerar os excluídos dentro dos excluídos”, completa Nilberto, que divide o trabalho com outros profissionais, os engenheiros Alessio Dionisi, Graça Sampaio, Elis Sampaio e Ronilson Cunha e o arquiteto Saulo Cavalcante.

“Esse projeto vem dar a essas pessoas uma condição de melhor mobilidade e dignidade”, avalia a educadora do CSPNSC Edilza Gadelha em cena do documentário.

Conheça rede social do projeto e assista ao filme:

 

SAIBA MAIS: Famílias de Mãe Luíza terão casas adaptadas para garantir acessibilidade

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais