Conheça o ‘Pingo da Mei Dia’ e a importância para o mossoroense
Natal, RN 19 de jun 2024

Conheça o 'Pingo da Mei Dia' e a importância para o mossoroense

30 de maio de 2024
4min
Conheça o 'Pingo da Mei Dia' e a importância para o mossoroense
Festa começa no ínicio da tarde e vai até tarde da noite | foto: SECOM

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Um enorme bloco de carnaval, só que junino. Essa poderia ser a definição do “Pingo da Mei Dia”, um dos maiores festejos juninos do Brasil e que abre o Mossoró Cidade Junina, o maior São João do Rio Grande do Norte. Previsto para acontecer no próximo dia (1) de junho, o evento movimenta a cidade, a economia, o turismo e renova uma das maiores tradições nordestinas: os festejos juninos.

Conforme projeção da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), apontadas pelo TCM Notícias, as estimativas apontam um público de mais de 200 mil pessoas no Pingo de 2024. E para possibilitar mais espaço ao evento, o Município de Mossoró ampliou a área da festa. São quase 2 mil metros para o folião percorrer apenas uma volta do Corredor Cultural. Os trios elétricos, juntos, vão realizar 14 voltas pelo Corredor Cultural, perfazendo mais 23 km em mais de 12 horas de shows pela avenida que reunirá participantes de várias cidades do país.

O bloco reúne gente de todos os lugares, só no ano passado, foi registrado um público de mais de 200 mil pessoas, durante todas as voltas que o trio percorreu, divididas entre blocos e camarotes. A Agência Saiba Mais conversou com mossoroenses que explicaram o que a festa representa para o povo.

Celso Gomes explicou que o Pingo foi um evento que consagrou Mossoró. O jovem comenta como a festa mexe com a cultura da cidade, atraindo gente de todo lugar e mudando a rotina da região.

“O Pingo da Mei Dia foi um evento que realmente consagrou a região de Mossoró, né? Afeta muita economia, porque na festa em si vem pessoas de outras cidades, de outras capitais, pessoas de Natal, de Fortaleza, já vi pessoas até mesmo de Recife”, conta.

“Devido ser um mês todo de festas, acaba alavancando muito a cultura da cidade. Então é algo que mexe tanto na cultura, como no desenvolvimento e na economia da cidade. É uma coisa que todo mundo aqui gosta, né? Tipo, o pessoal já compra roupa com um mês de antecedência. Quem vem pra ficar dormindo já se hospeda e faz a reserva um mês antes”, completa, observando que quem deseja se hospedar na cidade, agora, dificilmente vai conseguir uma vaga em hotel ou pousadas. 

Já para Lucas Melo, que além de mossoroense, integra o elenco do espetáculo “Chuva de Bala no País de Mossoró”, é impossível falar do Mossoró Cidade Junina sem falar do Pingo da Mei Dia.

“Faz muito tempo que eu vou junto com minha família, tempo esse que nem consigo dizer com exatidão, pois minha mãe comprava as roupas de todos da casa, nos arrumávamos e íamos. É uma festa que já virou tradição da cidade. Hoje em dia, é impossível falar do Mossoró Cidade Junina, sem falar do Pingo da Mei Dia. Assim como está correlacionado com o ‘Chuva de Bala’, espetáculo este que conta a história de como a cidade resistiu ao ataque do bando de Lampião, cangaceiro muito temido na região do nordeste. E fazer parte do elenco, é uma das coisas mais incríveis que existe. Já é meu 3 ano consecutivo e espero que possa continuar fazendo parte dessa história por muitos anos”, desabafa.

Para a publicitária Cinthia de Lucena, como participante do evento, ela precisa se preparar mentalmente.

“Eu acho que o Pingo é o maior evento do ano para o mossoroense, tipo assim, para mim também. Eu acho que ele já está conhecido no Nordeste todo. Eu sei de pessoas que vêm de todos os lugares para cá e eu acho que ele é isso, sabe? As pessoas se preparam de todas as formas, financeiramente, sobre roupa, sobre tudo. Eu estou me preparando mentalmente”, comentou.

Como é o caso da natalense Nathalie Viviane. A estudante de farmácia é de Natal, mas possui raízes no Alto Oeste e aproveita os festejos para rever seus familiares. “Eu vou pro Pingo todo ano que posso. Geralmente vou de bate e volta e, sempre que posso, aproveito para ver minha família e meus parentes e amigos que moram longe. Acho que o São João tem esse poder de união”, finaliza. 

Mossoró Cidade Junina

O Mossoró Cidade Junina (MCJ) é um dos maiores São João do Nordeste, sendo o maior festejo junino potiguar. Em 2024, a festa começa no dia (1) de junho indo até o último sábado do mês, no próximo dia 29. Passam pelo palco neste ano, nomes como: Gusttavo Lima, Nattan, Mari Fernandez, Alok, Leo Santana, Xand Avião, Calcinha Preta e muitos outros talentos.

Como parte da programação do MCJ, o espetáculo “Chuva de Bala no País de Mossoró” é Patrimônio Cultural dos Mossoroenses. O espetáculo teatral resgata a história de resistência do povo potiguar, quando, em 1927, a cidade foi invadida pelo bando do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, os mais temidos do nordeste, na época. No momento, a cidade soube da invasão e montou trincheiras para expulsar o bando. A história é contada por meio de inúmeros artistas, atores, bailarinos e diversos profissionais do meio artístico. 

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.