IFRN deve seguir em greve mesmo após Proifes fechar acordo com governo
Natal, RN 19 de jun 2024

IFRN deve seguir em greve mesmo após Proifes fechar acordo com governo

28 de maio de 2024
3min
IFRN deve seguir em greve mesmo após Proifes fechar acordo com governo
Foto: Sinasefe

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Os servidores do IFRN devem manter a greve da educação iniciada em 3 de abril, mesmo com a decisão da Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes) de assinar acordo com o governo federal. O Sindicato Nacional dos Servidores Federais na Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), que representa os servidores do IFRN, não reconhece a posição do Proifes.

A assinatura feita pelo Proifes em relação à reestruturação remuneratória envolve as carreiras do magistério superior e do magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), caso do IFRN. Outras entidades do movimento sindical nacional, como Andes-SN, Fasubra e o próprio Sinasefe se mantêm refratárias a fechar acordo com o governo ante o não reajuste salarial para 2024.

No domingo (26) o Sinasefe realizou uma longa plenária nacional em Brasília. A reunião começou às 9h e só terminou à 1h40 da segunda (27).

“O Sinasefe aprovou cobrar o cumprimento de uma ação judicial que a gente já tem, que impede o Proifes de atuar nas nossas bases”, explica Geraldo Peregrino, que estava na reunião e é diretor de imprensa e comunicação do Sinasefe Natal.

Em nota nesta segunda, o Sinasefe Nacional também disse que a greve continua e será fortalecida. 

“O governo Lula começou a semana querendo destruir a nossa greve. A narrativa usada: a Proifes, entidade cartorial criada para trair a classe trabalhadora, assinou um acordo hoje (27/05) e com isso ‘não teríamos mais o que fazer’. Do ponto de vista jurídico, o SINASEFE vem tomando todas as medidas necessárias e seguirá disputando todos os instrumentos cabíveis na esfera legal. Contudo, a maior disputa se dará no campo político, pois é a luta organizada da categoria que definirá o peso da assinatura do referido ‘acordo’”, diz a publicação.

Segundo Geraldo Peregrino, uma mobilização já está marcada para o dia 3 de junho, data em que um novo encontro com o governo foi marcado.

“É o dia de uma reunião próxima que o governo marcou com muito custo, após muita insistência, quando as lideranças sindicais que estavam lá na sala de reuniões disseram que iam ocupar, que não iam sair da sala até ter uma data de reunião. Então eles puxaram a reunião para o dia 3 e a orientação é um grande dia de mobilização nas cidades, todas as cidades onde temos unidades de institutos federais, de universidades nós teremos atos”, aponta.

Saiba mais

Proifes assina acordo com governo; docentes da UFRN questionam

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.