PSOL lança professor da Ufersa como pré-candidato a prefeito de Mossoró
Natal, RN 22 de jun 2024

PSOL lança professor da Ufersa como pré-candidato a prefeito de Mossoró

20 de maio de 2024
4min
PSOL lança professor da Ufersa como pré-candidato a prefeito de Mossoró
Foto: reprodução

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O PSOL decidiu lançar novamente o professor de Matemática da Ufersa, Ronaldo Garcia, como pré-candidato à Prefeitura de Mossoró. A decisão foi tomada no último sábado (18) em reunião online com filiados, momento em que o partido também elegeu uma nova direção municipal. O professor foi eleito presidente do diretório local.

O docente já havia concorrido ao Palácio da Resistência em 2020 e a outros cargos majoritários nos últimos anos, como senador em 2010, vice-prefeito em 2012 e vice-governador em 2014, na campanha em que o cabeça de chapa Robério Paulino arrancou um terceiro lugar e forçou um segundo turno entre Henrique Eduardo Alves e Robinson Faria.

Ronaldo Garcia tem 54 anos e faz parte do quadro do Departamento de Ciências Naturais, Matemática e Estatística da Ufersa. Segundo ele, o PSOL buscou primeiro se reorganizar em Mossoró.

“O partido estava sem registro na cidade, então a gente ficou batalhando, trabalhando para que nós tivéssemos nosso registro junto ao TRE, porque começávamos a ser chamados por alguns partidos, federações e candidatos para conversar, e nós íamos como um aglomerado de pessoas sem nenhum registro junto ao Tribunal Regional Eleitoral”, explica.

Já na última sexta-feira (17), conta Ronaldo, o PSOL realizou uma reunião com a Federação Brasil da Esperança (PT-PV-PCdoB). 

“E a gente percebeu que lá existia uma costura muito grande para uma frente ampla, que talvez fosse suficientemente ampla para abarcar o projeto do Lawrence Amorim [presidente da Câmara e pré-candidato a prefeito pelo PSDB]. Então enquanto PSOL a gente não se sentiu bem com aquilo”, aponta.

No sábado, na reunião com filiados, foi que surgiu a ideia de apresentar uma pré-candidatura própria. 

“E como eu tinha sido candidato na última eleição, eu acredito que isso deve ter pesado na decisão. Isso para mim foi uma surpresa, porque eu esperava que este ano nós simplesmente ficássemos junto a alguma federação e junto mesmo a Rede, por conta que nós estávamos meio desestruturados. Mas eu estou à disposição do partido e acredito que para nós é importante ter, de fato, uma candidatura própria. Pode ser eu, pode não ser eu, mas acho importante porque ganha mais visibilidade”, diz o professor.

Uma das tarefas da pré-candidatura vai ser enfrentar o atual prefeito do município, Allyson Bezerra (União Brasil).

“Ele não toca em assuntos sensíveis como a despoluição do Rio Mossoró, revitalização da Ponte Ulrich Graff, com balneário naquela região, revitalização do Beco das Frutas, revitalização do Beco dos Artistas, questões relacionadas a pontos históricos da cidade de Mossoró que podem ser explorados, a questão do lixo reciclável, a questão do transporte público, ou seja, uma série de questões sensíveis à cidade de Mossoró continuam na mesma situação”, avalia.

“Então, nesse aspecto, a gente vê que o projeto que nós tínhamos em 2020, naquela ocasião, nada do que estava dentro do projeto do PSOL foi realizado na gestão do Allyson Bezerra. Na verdade, a gente observa que o Allyson Bezerra é um político novo de práticas antigas”, diz o professor universitário, que também pede que os militantes do PSOL em Mossoró se unam neste momento, seja para aprovar ou não uma candidatura própria do partido na cidade.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.