Uern vai homenagear indígena Luiz Katu como Professor Honoris Causa
Natal, RN 15 de jul 2024

Uern vai homenagear indígena Luiz Katu como Professor Honoris Causa

9 de julho de 2024
6min
Uern vai homenagear indígena Luiz Katu como Professor Honoris Causa
Foto: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Goianinha

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) vai homenagear o líder indígena Luiz Katu com o título de Professor Honoris Causa. A indicação foi aprovada pelo Conselho Universitário nesta terça (9), ao lado de outros homenageados com títulos honoríficos e mérito administrativo, dentre eles o cantor Dorgival Dantas e servidoras.

As homenagens serão concedidas na tradicional Assembleia Universitária, em 28 de setembro, que celebra o aniversário de 56 anos da Uern. Esta será a primeira vez que a Uern irá homenagear com um título honorífico uma personalidade indígena.

Luiz Katu possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA), em 2003. Atualmente é professor da Escola Municipal Indígena João Lino da Silva e Escola Municipal Indígena Alfredo Lima na aldeia Katu, nos municípios de Goianinha/Canguaretama. Luiz Katu é uma liderança indígena potiguar de forte atuação, e encabeçou a luta pela implantação de uma escola indígena na comunidade de Canguaretama.

“É um reconhecimento histórico não só para a militância que nós realizamos na defesa dos direitos fundamentais dos nossos povos, das nossas etnias, da demarcação dos nossos territórios, em defesa de ter uma educação específica, diferenciada, intercultural, comunitária, bilíngue dentro do estado do Rio Grande do Norte, mas pela parceria que a gente tem desenvolvido com as universidades, e a Uern é uma dessas parceiras”, disse Katu à Agência Saiba Mais.

Para o pedagogo, o título se estende a todas e todos os professores indígenas, a partir do reconhecimento do seu comprometimento com a causa indígena e com os direitos fundamentais, “em um estado que se dizia que nem indígena existia, que nós tínhamos sido exterminados”, disse. 

A Escola Municipal João Lino da Silva, localizada em Canguaretama, tornou-se a primeira escola indígena do Rio Grande do Norte, tendo Luiz como o primeiro diretor da instituição, além de ser professor de etno-história. Reconhecida pelo Ministério da Educação e pelas secretarias municipal e estadual de educação, a escola tornou-se referência estadual no debate sobre implantação de escolas indígenas em outros territórios.

“A demarcação dos direitos fundamentais dos povos indígenas no Rio Grande do Norte começou fundamentalmente pela educação, quando nós conseguimos oficializar, legalizar a primeira escola indígena dentro desse estado”, afirmou.

Na Uern, o cacique Luiz Katu tem atuado em forte parceria com o Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas (NEABI) e com a Diretoria de Ações Afirmativas e Diversidade (DIAAD).

Dorgival Dantas

Já o forrozeiro Dorgival Dantas, potiguar de Olho-d'Água do Borges, será agraciado como Doutor Honoris Causa.  Aos 53 anos, Dorgival é atualmente um dos principais expoentes da cultura nordestina e do tradicional forró brasileiro — ao lado de nomes como Flávio José, Chambinho do Acordeon, Mestrinho, entre outros — colocando o Rio Grande do Norte em relevância pela qualidade do seu trabalho e pela referência que, ao longo do tempo, tem se tornado para uma nova geração de músicos.

Intérprete, compositor, arranjador, produtor musical, sanfoneiro, o legado de Dorgival Dantas vai além do deixado pela música. Em abril de 2024, Dorgival foi nomeado embaixador do turismo potiguar, em reconhecimento pelo seu papel de promover a cultura e as belezas naturais do estado.

Mérito Administrativo e Professor Emérito

O Diploma de Mérito Administrativo foi para a servidora Myrths Flávia Vidal da Costa Wanderley. Natural de Marcelino Vieira, ela iniciou sua jornada na Uern em 1987, quando ingressou como aluna de graduação no curso de Ciências/Matemática, graduando-se em 1993. Cinco anos depois, retornou à Uern como servidor, não mais deixando a instituição desde então, completando mais de 25 anos de serviços prestados à Universidade.

Myrths Flávia Vidal desempenhou funções como secretária da Pró-Reitoria de Administração (Proad), cerimonialista em eventos institucionais; secretária da vice-reitoria e da Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD); e secretária da Assessoria de Avaliação Institucional (AAI). Sua competência e comprometimento não passaram despercebidos, e em 2013 foi convidada para ser secretária dos Conselhos Superiores, posição que ocupa até os dias atuais.

Para o título de Professor Emérito, a escolhida foi a professora Marlucia Barros Lopes Cabral. Graduada em Pedagogia pela Uern, e doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), atualmente é professora aposentada da Uern. Atuou no Curso de Graduação em Letras Língua Portuguesa; e no Curso de Pedagogia, no PROFORMAÇÃO, no PARFOR, no PROFLETRAS e em cursos de Especializações. Foi chefe do Departamento de Letras, a época Língua Portuguesa e Língua Inglesa (2007-2011) e Diretora do CAA/UERN, por dois mandatos consecutivos (2014-2021).

Mesmo após sua aposentadoria, permanece membro do grupo de pesquisa PRADILE (Uern) e docente do Profletras, unidade de Assú. Também continua membro do Conselho Administrativo da Association Francophone Internationale de Recherche Scientifique en Education e membro do comitê científico da Associação Francofone Internacional de Pesquisa Científica em Educação – AFIRSE – secção brasileira.

A reitoria Cicília Maia parabenizou aos servidores homenageados, bem como os demais indicados aos títulos honoríficos. 

“Todos que foram indicados merecem o nosso reconhecimento. São pessoas valorosas na construção da nossa Universidade”, declarou.

Durante a Assembleia Universitária, também será entregue a Medalha da Abolição de 2024. Como homenageados foram escolhidos a Irmã Zelândia (do Colégio Sagrado Coração de Maria), Laplace Rosado Coelho, ex-presidente da Fundação Universidade Regional do Rio Grande do Norte – FURRN e ex-reitor da Uern (in memoriam), e Pedro Fernandes Ribeiro Neto, ex-reitor da Uern.

Marca comemorativa dos 56 anos é apresentada

Durante o Consuni, foi apresentada a marca comemorativa do aniversário de 56 anos da Uern, que tem como tema “Saber que Acolhe”. A identidade visual foi apresentada pela publicitária Priscila Kruguer.

O tema escolhido representa a ideia de uma Universidade plural, inclusiva e transformadora. A arte é inspirada no Juazeiro, que assim como Uern representa resiliência, sabedoria e acolhimento. Assim como a árvore resistente no semiárido, que precisa de pouca água para encantar o sertão nordestino, basta uma única gota de Uern para transformar vidas em toda a região.

A Uern é ensino, pesquisa, extensão, acolhimento, diversidade e inclusão. Com caráter multicampi, a Universidade nasceu no interior do Rio Grande do Norte, está presente em seis cidades – Assú, Caicó, Mossoró, Natal, Patu e Pau dos Ferros – e já formou mais de 55 mil profissionais ao longo de sua jornada.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.