TRANSPARÊNCIA

Mercado da Redinha começa a ser demolido pela Prefeitura de Natal

O tradicional Mercado da Redinha começou a ser demolido nesta segunda (18) pela Prefeitura de Natal, que vai usar o espaço para construir o Complexo Turístico da Redinha. A demolição deve durar uma semana e a construção da nova estrutura vai levar 18 meses para ficar pronta, a um custo de R$ 25 milhões.

De acordo com a Secretaria de Obras públicas e Infraestrutura, os 33 permissionários que trabalhavam no Mercado vão receber R$ 1.200 por mês até que as obras sejam finalizadas. A nova estrutura prevê, dentre outras coisas, a criação de novos acessos ao local, além da abertura de uma rua que ligue o Complexo direto à Ponte Newton Navarro, um deck, nova iluminação, quebra-mar, a construção de 33 novos boxes e sete restaurantes.

As obras estão divididas por lotes:

Construção do novo Mercado da Redinha;

Iluminação pública e construção de quebra-mar;

A requalificação do sistema de defesa costeira (com enrocamento aderente) da Praia da Redinha, trecho do rio Potengi, a urbanização e drenagem do entorno do Mercado da Redinha;

Modernização da rua Francisco Ivo e o chamado quebra-mar. A rua Francisco Ivo é a principal via da orla da Redinha, por isso terá seu pavimento em asfalto substituído por material drenante que possibilitará a melhoria significativa na drenagem local. O novo pavimento será executado no nível das calçadas, com isso, apresentar diferença de cota entre as calçadas e a faixa de rolamento dos veículos, que será separada por balizadores fixos;

Reestruturação viária do antigo acesso ao bairro, com capeamento asfáltico e execução do passeio com acessibilidade do trecho da av. Doutor João Medeiros Filho, a partir do viaduto da Redinha até o entroncamento com a rua Francisco Ivo, e da rua José Herôncio de Melo, a partir da rua Francisco Ivo até a rua Engenheiro Clóvis Aragão. Inclui também a rua Engenheiro Clóvis Aragão, a partir da rua José Herôncio de Melo até a João Medeiros Filho.

Projeto do Complexo Turístico da Redinha I Imagem: reprodução

Indenização

Para dar início às obras, a Prefeitura de Natal teve que indenizar o proprietário do bar e restaurante Portal do Potengi, que funcionava no mesmo local, na Praia da Redinha, há mais de 30 anos. Sem qualquer aviso prévio ou negociação, o setor de fiscalização da Secretaria de Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo de Natal (Semurb) havia notificado o comerciante no dia 11 de março para que ele, assim como todas as demais pessoas que trabalhavam no local, deixassem o restaurante num prazo de 72 horas.

Erick Guedes de Melo Filho, proprietário do bar e restaurante, havia entrado com uma ação na justiça federal e o magistrado Adrian Soares Amorim de Freitas, determinou que a Prefeitura de Natal (RN) e a União suspendessem qualquer ação de desocupação do imóvel, sem um processo adequado para garantir defesa e indenização justa.

A liminar concedida pela justiça federal que determinava a suspenção da desocupação e negociação de indenização foi acatada no dia 31 de março. No dia 08 de abril a Prefeitura de Natal voltou atrás, aceitou fazer acordo e pagar indenização pela retirada do restaurante Portal do Potengi. Os valores foram negociados e aceitos pelas partes.

Vista do Restaurante Portal do Potengi I Imagem: reprodução

Saiba +

Prefeitura de Natal vai pagar indenização para retirada de restaurante que funcionava na Praia da Redinha há mais de 30 anos

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo