Ao menos sete potiguares e membros do governo Fátima foram para a gestão de Lula; veja lista
Natal, RN 1 de mar 2024

Ao menos sete potiguares e membros do governo Fátima foram para a gestão de Lula; veja lista

22 de fevereiro de 2023
7min
Ao menos sete potiguares e membros do governo Fátima foram para a gestão de Lula; veja lista

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Pelo menos sete profissionais nascidos no Rio Grande do Norte ou de outros estados, mas que trabalharam no governo Fátima Bezerra, rumaram a Brasília para trabalhar em diferentes pastas do Planalto.

Na lista, há desde nomes que eram do primeiro escalão de Fátima, como o ex-secretário de Educação Getúlio Marques, passando por mulheres com longa trajetória no movimento feminista, a profissionais saídos dos bancos da UFRN.

Quatro profissionais atuaram na gestão Fátima 1. Outros três não fizeram parte do governo passado, mas foram chamados agora para o trabalho na capital federal. A agência Saiba Mais procurou a assessoria de comunicação do Governo do RN para saber se havia outras pessoas que migraram de governo, mas não recebemos resposta até o fechamento desta matéria. 

Veja a lista:

Na sequência: Getúlio Marques, Crispiniano Neto e Nilson Florentino Jr.

Getúlio Marques

Foi o secretário de educação durante o governo Fátima 1 e deixou a função para assumir o cargo de secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC). Seu anúncio foi feito no início de janeiro, no pacote de novidades da pasta anunciado pelo ministro Camilo Santana. 

Esta é a segunda passagem de Getúlio pelo MEC. Nos dois primeiros governos Lula, sob gestão do ex-ministro Fernando Haddad, Marques foi coordenador de Planejamento Orçamento e Gestão, diretor da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e secretário adjunto da própria Setec, para onde ele volta agora como titular.

Na época, ele atuou na equipe responsável pela expansão dos Institutos Federais no país, uma das marcas dos quatro governos do PT, com Lula e Dilma. Só no Rio Grande do Norte, o número de unidades dos IFs subiu de dois para 21.

Crispiniano Neto

Jornalista e poeta, Crispiniano é o diretor-geral da Fundação José Augusto (FJA), instituição responsável pelas políticas culturais do estado, e foi indicado pela governadora Fátima Bezerra para um cargo no Ministério da Cultura (MinC). A nomeação ainda não aconteceu, e o gestor preferiu não revelar qual o cargo que assumirá no MinC.

Em janeiro, entretanto, Fátima fez uma postagem em que indicou que Crispiniano vai trabalhar em um setor do Ministério da Cultura no qual poderá ajudar a colocar em prática um projeto aprovado ainda em 2016 proposto por ela e que se transformou na Lei 13.696, que cria a Política Nacional de Leitura e Escrita.

“Fico feliz por ter sido autora desta lei, que graças a um governo que prioriza livros ao invés de armas, vai sair do papel. O RN está sendo muito bem representando pela figura competente e comprometida de Crispiniano”, apontou a governadora.

Enquanto isso, Crispiniano segue na FJA e ajuda nos trabalhos de transição da direção do órgão, que será assumido definitivamente em breve pela também  jornalista, realizadora audiovisual e professora do IFRN, Maryland Brito.

Nilson Florentino Júnior

Mossoroense de 27 anos, é formado em Licenciatura em Educação do Campo com habilitação em Ciências Humanas e é pós-graduando em Gestão Pública, pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). Atuava anteriormente como subcoordenador de Articulação Institucional da Juventude, dentro da Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (Semjidh). Com trajetória no movimento estudantil, foi diretor LGBT da União Nacional dos Estudantes (UNE) e hoje também é secretário nacional adjunto da Juventude do PT.

Na sequência: Conceição Dantas e Bruno Reis

Conceição Dantas

Integrante da Marcha Mundial das Mulheres e do PT de Mossoró, Conceição é irmã da deputada estadual Isolda Dantas (PT) e compõe a equipe do Governo Federal no Ministério de Desenvolvimento Agrário. Na pasta do ministro Paulo Teixeira, é a subsecretária de mulheres rurais.

Doutora em assistência técnica rural, foi coordenadora do Centro Feminista 8 de Março e compôs a equipe de transição do governo Fátima. A feminista foi convidada diretamente pelo ministro Paulo Teixeira, em acordo com a governadora. 

"Após quatro anos de retirada de direitos, é hora de reconstruir o Brasil e isso não é possível sem políticas consistentes para as mulheres rurais. Fui convocada para mais essa tarefa e tenho certeza que, junto da equipe, faremos valer a esperança de dias melhores para as mulheres do campo e da cidade!”, diz Conceição Dantas.

Bruno Reis

Bruno era, até janeiro, presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), e deixou o cargo para assumir a Gerência de Mercados, Feiras e Eventos Internacionais da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), presidida por Marcelo Freixo. 

Reis era ainda vice-presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fortur) até assumir a nova função na Embratur. Na carreira, trabalhou como executivo do Aeroporto Internacional Tom Jobim (RIOgaleão). É bacharel em Turismo com especialização em administração e marketing na Austrália.

Na sequência: Michela Calaça e Kênio Costa

Michela Calaça

Nascida em Currais Novos, se formou em Agronomia pela Ufersa em 2006. Tem mestrado em Serviço Social pela UFPE e doutorado em Ciências Sociais pela UFCG. Michela milita em temas relacionados à agroecologia, reforma agrária e feminismo. É dirigente nacional do Movimento de Mulheres Camponesas, da secretaria nacional da Via Campesina (organização mundial de camponeses) e do Movimento Brasil Popular. 

Atuou na assessoria técnica do programa Uma Terra e Duas Águas, da Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA Brasil). Também foi consultora para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, em parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), colaborando na formação de camponesas no acesso ao Programa de Aquisição de Alimentos entre 2012 e 2013. Em 2015, foi coordenadora do programa de organização produtiva do governo Dilma Rousseff no Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Na equipe de transição do terceiro governo Lula, fez parte do grupo de trabalho do desenvolvimento agrário e agora é assessora da Secretaria-Executiva da Secretaria-Geral da Presidência da República. Segundo Calaça, o cargo “tem como tarefa principal ampliar a participação popular no governo federal”.

Kênio Costa

Possui graduação em Odontologia pela UFRN, mestrado em Odontologia Social pela mesma universidade, e doutorado em Ciências (Microbiologia Médica) pela UFRJ, com pós-doutorado em Saúde Pública pela Agência de Saúde Pública de Barcelona. 

Professor lotado no Departamento de Odontologia da UFRN, é editor científico da Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Em Brasília, foi nomeado para o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, como coordenador da Diretoria de Proteção da Pessoa Idosa da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.