Ato público da Marcha das Mulheres acontece nesta segunda (8) em Natal
Natal, RN 25 de jul 2024

Ato público da Marcha das Mulheres acontece nesta segunda (8) em Natal

8 de julho de 2024
2min
Ato público da Marcha das Mulheres acontece nesta segunda (8) em Natal
Abertura Marcha das Mulheres | Foto: wignaribeiro/maju.montero/reprodução

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Dando continuidade a programação do 3º encontro da Marcha Mundial das Mulheres em Natal, vai acontecer nesta segunda-feira (8), às 15 horas, o ato público: “Feminismo é revolução: Por soberania popular e dos nossos corpos”, em frente ao Midway Mall. A iniciativa servirá para construir uma agenda conjunta e avançar nas políticas públicas fortalecendo o direito das mulheres no Brasil.

A Marcha em Natal teve início no último dia (6) e vai seguir até o próximo dia (9), reunindo mulheres e discutindo temas e políticas que impactam diretamente a vida delas. Rejane Medeiros, coordenadora estadual da Marcha, explicou que esse é um momento importante para as militantes da MMM para construírem uma agenda conjunta e avançar nas políticas públicas para as mulheres no país. 

“É um momento importante em que as militantes da marcha, assim como representantes de movimentos aliados, estarão presentes para nos fortalecermos mutuamente, construir a agenda conjuntamente e avançar nas políticas públicas para as mulheres no Brasil”, explica.

O encontro de hoje servirá também para definir os próximos passos do calendário de lutas.

No Brasil, estamos realizando o nosso terceiro encontro nacional da Marcha Mundial das Mulheres, que leva o nome de Nalu Faria, uma companheira que dedicou sua vida à luta e fazia parte da Marcha Mundial das Mulheres. Estamos aqui em vinte e três estados do Brasil, com uma delegação internacional de companheiras que fazem parte da marcha internacional. Nesses quatro dias, discutiremos várias questões. Vamos afinar nosso debate sobre a conjuntura e o impacto na vida das mulheres, discutir nossas lutas e resistências, e fortalecer nosso processo de organicidade. A partir desse encontro, também definiremos uma agenda de lutas para o próximo período”, completa. 

A Marcha 

A Marcha Mundial das Mulheres (MMM), é um movimento feminista presente em 20 estados brasileiros e em cinco continentes do mundo, e acontece de 6 a 9 de julho em Natal. O encontro é o 3° Nacional e reuniu mais de mil mulheres de 23 estados do Brasil, dentre elas a governadora do RN, Fátima Bezerra, e a Ministra das Mulheres, Aparecida Gonçalves, que participaram da cerimônia de abertura, neste sábado (6), no Auditório da Escola do Governo. 

“Quero expressar aqui a alegria do Rio Grande do Norte em sediar este encontro nacional da Marcha Mundial das Mulheres. Contamos com a participação de mais de mil mulheres vindas de vários lugares do Brasil. A presença da nossa ministra aqui é muito significativa, pois simboliza o compromisso do Governo Federal com a agenda de defesa dos direitos das mulheres. Este encontro, sobretudo, renova nossa mobilização social para que não haja retrocessos e para que possamos avançar cada vez mais em direção a uma vida com direitos, dignidade e sem violência”, explicou a governadora Fátima Bezerra.

O encontro homenageou Nalu Faria, fundadora e dirigente feminista, socialista e uma das principais articuladoras para a construção da MMM, que morreu em outubro do ano passado aos 64 anos. O evento conta também com a presença de uma delegação internacional da Marcha Mundial das Mulheres, incluindo a turca Yildiz Temürtükan, Secretária Internacional da Marcha Mundial das Mulheres; a venezuelana Alejandra Laprea, representando o secretariado internacional; e as turcas Pınar Yüksek e Pınar Abdal. 

“Este é um momento muito importante. As mulheres estão mostrando que sempre estiveram nas ruas, sempre estão mobilizadas, com a capacidade de pensar e reinventar a história e o Brasil. A Marcha Mundial das Mulheres mais uma vez demonstra isso. São mais de mil mulheres fazendo um debate político de conjuntura, garantindo e mostrando que o lugar da mulher é onde ela quiser”, destacou a ministra Aparecida Gonçalves.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.