DEMOCRACIA

Posse do secretariado do RN tem “resistência de Canudos a Palmares” e foco nas futuras obras

A governadora Fátima Bezerra (PT) deu posse aos 21 secretários estaduais nesta quinta-feira (12) e destacou o aumento nas pastas ocupadas por mulheres — de quatro para oito. As mudanças foram pontuais, e os novos titulares falaram sobre os desafios. Virginia Ferreira, da Gestão de Projetos, ainda lembrou a “resistência de Canudos a Palmares” enfrentada na última gestão, citando outros ícones nacionais. 

Duas pessoas falaram em novo do antigo secretariado: além de Ferreira, Aldemir Freire, do Planejamento e Finanças (Seplan).

“No primeiro semestre, precisamos trabalhar com pé no freio. Vivemos sob efeito de três impactos nas nossas finanças. Do lado da receita, temos queda do ICMS incidente sobre combustíveis, energia elétrica e telecomunicações. Essa medida, tomada por fins eleitoreiros, está produzindo a sangria dos cofres do Estado na ordem de R$ 80 milhões por mês”, citou Freire, em recado aos novos titulares.

Ainda nas receitas, segundo Aldemir, a alta dos juros tem impactado as empresas, enquanto, pelas receitas, os aumentos salariais aprovados em 2022 são uma tarefa a mais para enfrentamento do Governo.

“Essa tesoura de redução de receitas e aumento dos custos precisa ser enfrentada de maneira firme neste início de segundo mandato”, acentuou.

Em discurso, o chefe do Planejamento elogiou a gestão Fátima e contrapôs aos governos passados.

“A cadeira do nosso governo do Estado foi na década passada uma máquina de moer reputações políticas. Aqueles e aquelas que estavam sentados naquele gabinete perderam suas eleições em 2010, 2014 e 2018”, afirmou.

Ao assumir o governo em 2015, Fátima entrou sob o lema de que “o melhor vai começar”. Já hoje, alterou a frase para “o melhor já começou”. 

Para Aldemir, “cada uma dessas gestões [2010, 2014 e 2018] entregou nosso estado numa situação pior do que recebeu”, disse, ao parabenizar a petista pela gestão das contas públicas.

Já Virgínia Ferreira já estava na equipe antiga, mas mudou agora da Administração para a Secretaria de Projetos Especiais do Estado.

A titular da Segri reiterou os elogios à Fátima, e destacou a “resistência” vivida nos últimos anos:

“Como diz Fernando Pessoa, o homem é do tamanho dos seus sonhos. E mostramos ao nosso povo a força da resistência de Canudos a Palmares, de Frei Caneca a Marighella, da Revolução Praieira às Ligas Camponesas, de Miguel Arraes a dom Helder Câmara. Isso fica na nossa história”.

Sem mandato a partir de fevereiro, Rafael Motta diz que “o futuro a Deus pertence”

Entre os presentes, estavam nomes como o ex-governador Garibaldi Alves Filho, pai de Walter, o deputado federal Rafael Motta, derrotado em 2022 na corrida para o Senado, diversas lideranças do interior, além de deputados e vereadores de Natal.

Motta, dirigente do PSB, ressaltou o “conhecimento técnico” dos novos secretários.

“A gente vê que a governadora sempre faz o que é correto, que é a escolha de pessoas técnicas pras pastas que exigem realmente o conhecimento técnico. Todos eles são extremamente qualitativos, até mesmo quem fazia composição, por exemplo, Antenor, voltou pro seu local original”, pontuou.

O PSB não fez parte da coligação de Fátima na última eleição, que teve Carlos Eduardo (PDT) como nome ao Senado. Também não está no primeiro escalão. Ainda assim, o deputado se disse “confortável” com a relação dos socialistas com o PT. Ele lembrou que o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, é da sua sigla.

“O partido se sente muito confortável da forma que se encontra e não existe nada de exigência não. Os nomes que nós sugerimos já anteriormente são pessoas também que seguem o critério de qualificação, o critério técnico para poder ocupar esses espaços. Hoje o PSB se sente muito confortável da forma que está”, resumiu.

Sobre o futuro político, despistou. 

“Política é uma ciência e uma paixão que eu exerço com muita dignidade, com muito orgulho, com muita honra. A gente teve uma eleição em que não saiu vitorioso, mas também não saiu derrotado. Foi muito concorrida, mas a gente saiu de cabeça erguida que é o mais importante. E o futuro a Deus pertence. A gente quer agora ajudar o nosso país junto com Lula e Alckmin, o governo do Estado agora também ajustado com o governo federal, um momento histórico do Rio Grande do Norte e tenho certeza que vai ser a melhor administração que o RN vai ter pelo Executivo”, afirmou.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo