Solidariedade: ONG em Natal cuida e resgata mais de 200 animais
Natal, RN 17 de jul 2024

Solidariedade: ONG em Natal cuida e resgata mais de 200 animais

7 de julho de 2024
5min
Solidariedade: ONG em Natal cuida e resgata mais de 200 animais
Foto: Aspan rn

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O abandono de animais é um problema que cresce a cada dia no país, sendo um problema de saúde pública e um crime previsto por lei. Diante disso, protetores de animais em Natal acolhem, resgatam e salvam a vida dos companheiros de 4 patas, na tentativa de proporcionar uma maior qualidade de vida para esses bichinhos. 

É o caso da Associação de Proteção aos Animais (ASPAN-RN) que atua há duas décadas resgatando e cuidando de cães e gatos doentes, maltratados e abandonados nas ruas. Embora exista há 20 anos, a Aspan conseguiu construir um abrigo físico somente em 2018, como explicou Rose Guerra, presidente e protetora da Aspan à Agência Saiba Mais. O abrigo hoje conta com um canil, lavatório, um carro para transporte e aproximadamente cerca de 200 animais, entre gatos e cachorros.

Além disso, a Associação conta com 3 espaços físicos, estando um deles acima da lotação. O abrigo mais antigo da ONG, em Parnamirim, feito em 2018, está com 160 animais, 60 acima da capacidade. Os outros dois locais são em Natal, onde a casa acolhe, na sua maioria, gatos. E o outro fica localizado em São José do Mipibu, com 40 animais.

ONG se vira para se manter de pé

A ASPAN, na realidade, nasceu da vontade de um grupo em cuidar de animais em situação de vulnerabilidade e já chegou a beneficiar mais de 400 pets, através de mutirões de castrações e feiras de adoção.

“Hoje dependemos de doações. 20%  a 25% dos nossos custos são cobertos com doações de pessoas físicas. 2% vem de um programa de notas fiscais e 15% vem do apoio da Ampara, uma ONG bem estruturada em São Paulo. Os outros 60% são financiados por 2 associados, que rolam as dívidas em seus cartões de crédito, limites de conta corrente, acumulando dívidas…”, explica a presidenta, falando de como a ONG faz para se manter de pé.

A Aspan recebe apoio do programa fiscal Nota Potiguar, que é um aplicativo de estímulo à cidadania fiscal do Estado do Rio Grande do Norte, que tem como objetivo incentivar os consumidores a exigirem o documento fiscal, colocando, por exemplo, o CPF na nota. O incentivo do Nota equivale apenas a 2% dos gastos com os animais, fazendo com que o abrigo dependa da doação de terceiros para se manter funcionando .Já o trabalho, é feito totalmente de maneira voluntária, com, atualmente, um grupo de 60 voluntários cadastrados. Embora os interessados sejam em um número consideravelmente expressivos, Rose comenta que somente ¼ dos cadastrados atuam diretamente no local, gerando assim um déficit de mão de obra do abrigo e uma sobrecarga nos restantes.

Rose Guerra é protetora desde criança e sempre resgatou animais, um costume que já vinha de família. Ela lamenta pelo problema do abandono de animais que a cada dia cresce não só no Rio Grande do Norte, mas em todo país. “O trabalho que nós realizamos é um trabalho de saúde pública”, defende a protetora em uma entrevista. Assista:

Vale mencionar que, em 2021, a ONG realizou a maior ação de castração gratuita do RN, até então, castrando mais de 430 animais, através de doações, emendas parlamentares e recursos do próprio financeiro. A ação beneficiou mais de 430 animais (entre gatos e cachorros), que tinham como tutores pessoas de baixa renda. 

Abandono animal é crime no Brasil

Atualmente, o lar abriga centenas de animais, o que na realidade é um problema grave. Isso porque, esse número representa o aumento dos casos de abandonos dos bichinhos, o que é considerado crime. Para Rose, a quantidade de animais abandonados que os voluntários recebem é preocupante. 

O número grande de animais abandonados no RN é assustador...então estamos sempre lotados e com fila de animais na espera por uma vaga. O tratamento veterinário e a profilaxia das doenças de canil são nossas maiores preocupações para a segurança dos animais. Fazemos o que é possível, mas ainda não é o suficiente. Faltam coleiras anti leishmaniose e vacinas. É uma luta enorme e constante”, desabafa.  

É importante lembrar que o abandono de animais é considerado crime no Brasil, como respalda a lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, a Lei de Crimes Ambientais. A legislação estabelece ainda sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente.

O Artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais estabelece também que é crime "praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos". E o abandono é considerado uma forma de maus-tratos, pois coloca em risco a vida e o bem-estar dos animais.

Como doar ou adotar animais

A Aspan realiza periodicamente feira de adoções de animais, onde aqueles interessados podem adotar um cachorro ou um gato. Além disso, os bichos disponíveis para adoção estão indicados aqui.Na sua maioria, os pets contam com vermifugação e vacinas já disponibilizadas pela Associação.

Para quem quiser ajudar com alguma quantia em dinheiro, o abrigo disponibiliza o pix: PIX/CNPJ: 03.399.956/0001-04. Já para quem deseja entrar em contato com a ONG, basta enviar uma mensagem para o número: 84 99108-9750. Para outras informações, acesso o perfil: @aspan.rn

➡️ PIX (CNPJ): 03.399.956/0001-04

Transferência:

➡️ BB-AG: 1668-3 C/C:53705-5

➡️ CAIXA-AG: 0034 C/C: 2823-1 OP:003

Leia também: Abandono de animais prejudica fauna no Parque da Dunas, aponta Idema

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.