OPINIÃO

Gal Costa e o Edifício Ducal

Por Valmir Sabino – Especial para a SAIBA MAIS

No dia 09 de novembro o Brasil perdeu Gal Costa, uma de suas maiores cantoras de todos os tempos. Aos 77 anos, encontrava-se em plena atividade. Ao longo de quase seis décadas de carreira, sucessos como Um Dia de Domingo, Chuva de Prata, Baby, Força Estranha, Aquarela do Brasil, Meu Bem Meu Mal, Que Pena, Modinha Para Gabriela e Folhetim explodiram nas rádios de todo os país.

Gal cantou em Natal algumas vezes nos palcos do Teatro Alberto Maranhão, Teatro Riachuelo e sede social do América. Inclusive, 4 dias antes da sua morte, completou 46 anos de sua apresentação no evento de inauguração do edifício Ducal. O icônico prédio do centro da cidade teve sua construção iniciada em 1971. Passados 5 anos, precisamente no dia 5 de novembro de 1976, o suntuoso Ducal Palace Hotel foi oficialmente aberto.

 

 

 

Para a festa inaugural, foi programado para a boate do hotel um espetáculo de Gal Costa para um seleto grupo de 150 convidados. Dentre eles, 80 personalidades vindas do Rio de Janeiro que foram hospedadas no empreendimento que era considerado um dos mais luxuosos hotéis do nordeste.

Para o evento no Ducal, Gal Costa trouxe a Natal o show “Gal canta Caymmi”. Meses antes, a cantora lançou o aclamado disco com o mesmo nome onde interpretou composições de Dorival Caymmi. Dentre as músicas, estavam “Só Louco” que na TV Globo ganhou vídeo clipe no Fantástico e foi tema de abertura da novela Casarão.

Décadas depois da sua inauguração, o local deixou de ser hotel, passou um período fechado, foi sede de secretariais municipais e hoje se limita apenas a locação dos pontos comerciais do andar térreo. O Edifício Ducal sobrevive com muitas dificuldades, um cenário bem distante do glamour dos tempos em que tinha a capacidade de receber uma estrela do quilate de Gal Costa.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo