Do MBL à esquerda: Quem é Pablo Aires, vereador de Mossoró que pediu afastamento do cargo para cuidar da saúde mental
Natal, RN 23 de fev 2024

Do MBL à esquerda: Quem é Pablo Aires, vereador de Mossoró que pediu afastamento do cargo para cuidar da saúde mental

26 de setembro de 2023
5min
Do MBL à esquerda: Quem é Pablo Aires, vereador de Mossoró que pediu afastamento do cargo para cuidar da saúde mental

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar
O vereador mossoroense Pablo Aires (PSB) anunciou nesta segunda-feira (26) um afastamento temporário da Câmara para tratar da saúde mental. Com depressão, o parlamentar disse que essa é a pior doença que já enfrentou. O diagnóstico dos médicos, segundo ele, foi de transtorno de estresse agudo. “Pensei muito se deveria expor essa situação ou apenas tratar como algum problema geral, mas é preciso dizer que a depressão é uma doença séria e assim deve ser tratada”, afirmou. O pessebista disse que seu gabinete na Câmara continuará funcionando e que tentará cumprir os compromissos que não conseguiu adiar.  “Espero, ao final desse processo, voltar melhor pra continuar fazendo o nosso trabalho, na câmara e na causa animal, com dedicação. Agora, a minha saúde me pede uma pausa.”  A licença deve valer para as sessões entre 26 de setembro e 4 de outubro. Por se tratar de um período curto, o regimento interno da Casa não prevê a convocação de suplente. Vereador caminhou do MBL à esquerda Pablo Aires é um dos mais jovens vereadores da Câmara de Mossoró. Aos 29 anos, o advogado exerce seu primeiro mandato e tem uma trajetória curiosa na vida política, que caminha da direita à centro-esquerda. Em 2016, pouco antes de completar 22 anos, foi uma das lideranças dos protestos contra o aumento do salário de vereadores na Câmara Municipal. A proposta foi aprovada e fez com que os salários dos parlamentares saltassem de R$ 9,5 mil para até R$ 12,6 mil, a partir de 2017. Era uma época em que o Movimento Brasil Livre (MBL), grupo de direita liberal capitaneado por Kim Kataguiri e outros, surfava na onda dos protestos contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), pouco antes dela sofrer o impeachment. [caption id="attachment_82899" align="alignnone" width="479"] Pablo durante um dos protestos de 2016 | Foto: reprodução[/caption] Em Mossoró, Aires e outros jovens participavam do movimento e tiveram protagonismo nas manifestações contra o reajuste salarial dos vereadores, ao lado de partidos como PSOL, PSTU e PT. Aos poucos, Pablo foi se distanciando do movimento, até romper de vez e caminhar principalmente ao lado dos grupos progressistas. Hoje, possui ainda atuação destacada dentro da causa animal. As eleições Em 2020, o mossoroense nascido na zona rural do Jucuri disputou sua primeira eleição. Filiado ao PSB, recebeu 1.857 votos e conquistou uma cadeira na Câmara sendo o 11º mais votado. Na nominata da sigla, foi o primeiro. Abertamente gay, ousou e tomou posse no ano seguinte com as bandeiras LGBT e do município de Mossoró entrelaçadas no pescoço, formando uma espécie de echarpe. Em outro momento, também já chegou a utilizar a bandeira LGBT sobre a mesa que ocupa no plenário. Nas eleições nacionais de 2022, enfrentou outro desafio, desta vez de se candidatar à Câmara dos Deputados, em Brasília. Ao final, alcançou um resultado de 21.996 votos. Na lista do PSB, ficou atrás somente de Thabatta Pimenta, a vereadora trans de Carnaúba dos Dantas, e à frente do ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves. LGBT Numa sessão em 2022, na Casa legislativa mossoroense, fez um discurso contundente contra a LGBTfobia.  “Nunca é demais dizer que nós somos o país que mais mata a comunidade LGBT no mundo, mas nós precisamos mexer na ferida. A gente tem que ter medo dos nossos gestos, da nossa roupa ou de andar com nossos namorados. Isso não é justo”, falou.  “Não é justo que um homem e uma mulher hetero possam andar de mãos dadas com a pessoa que amam e alguém que é homossexual não possa porque isso incomoda a vida de outra pessoa. A gente não pode tratar isso como natural”, pontuou. No mesmo discurso, Pablo fez uma ligação com a depressão, problema que enfrenta agora. [caption id="attachment_82900" align="alignnone" width="640"] Vereador durante posse em 2021 | Foto: reprodução[/caption] “A comunidade LGBT está mais suscetível à depressão, à ansiedade, ao suicídio. Nós temos uma comunidade de pessoas trans e travestis com expectativa de vida de 35 anos. Pelo amor de Deus! Isso não é natural, e nós precisamos, sim, fazer alguma coisa”. Numa entrevista ao site do PSB, no ano passado, ele deu sua definição do que significa ser “socialista”. “Hoje, acredito ser mais sustentável uma definição de socialismo como um conjunto de valores intrínsecos ao desenvolvimento da democracia. Valores primordiais ao desenvolvimento de qualquer sociedade que tenha como prioridade a garantia de direitos trabalhistas, o desenvolvimento de grupos invisibilizados, o acesso a direitos e a garantias que primem pela democratização dos meios de dominação”, afirmou. Procuramos o vereador para uma entrevista, mas a assessoria informou que ele está se preservando e buscando cumprir a orientação médica para se recuperar logo.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.