Coletivo potiguar apresenta espetáculo de dança “Corpos Turvos” em festivais nacionais
Natal, RN 26 de fev 2024

Coletivo potiguar apresenta espetáculo de dança “Corpos Turvos” em festivais nacionais

22 de julho de 2022
3min
Coletivo potiguar apresenta espetáculo de dança “Corpos Turvos” em festivais nacionais

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Coletivo CIDA (RN) aborda, por meio da dança contemporânea, os padrões de invisibilidade de corpos pretos, pobres, periféricos, soropositivos, LGBTQIAP+ ou com deficiência. O espetáculo “Corpos turvos” estreia no Festival Funarte Acessibilidança, nesta sexta-feira (22), às 20h, pelo canal da Funarte no Youtube.

Depois disso, o novo trabalho em formato presencial será apresentado na programação do Festival Nacional de Teatro Toni Cunha, dia 29 de julho, às 20h, na cidade de Itajaí/SC.

Ainda na programação do Festival, o Coletivo realiza, no dia 30 de julho, Oficina de Acessibilidade e Inclusão nas Artes Cênicas, uma ação formativa que tem como princípio o compartilhamento de mecanismos de inclusão e acessibilidade utilizados no âmbito do Coletivo CIDA. A atividade tem como princípio a capacitação técnica de monitores e professores da área artística que podem ter entre seus alunos, crianças e ou adolescentes com alguma deficiência.

Seguindo a turnê, o CIDA exibe Corpos Turvos em Brasília, no Teatro Sesc Garagem, no dia 1º de agosto, como ação contemplada no Edital Funarte Circulação das Artes - Edição Centro-Oeste, e por meio de parceria com o Sesc-DF.

Quem são e o que fazem

Fundado por Arthur Moura, René Loui e Rozeane Oliveira, artistas e produtores, o CIDA se destaca no cenário cultural norte-rio-grandense pela produção experimental e inclusiva.

Corpos Turvos teve pesquisa iniciada em 2019 na residência artística na Odisha Biennale, na Índia. Inicialmente pensado como um espetáculo solo para os formatos presenciais, a partir de outra residência artística virtual entre René Loui (MG/RN) e Jussara Belchior (SC), dois pesquisadores das diferenças na dança, se concretiza como obra audiovisual de dança.

O espetáculo foi desenvolvido em meio à pandemia de covid-19, unindo profissionais de diversas partes do Brasil e do mundo. Na concepção, direção coreográfica e artística: René Loui (MG/RN); na interlocução dramatúrgica e coreográfica: Jussara Belchior (SC); na direção de vídeo: Gustavo Guedes; na direção de fotografia: Pedro Medeiros (Brasil/Tailândia); na trilha sonora: Fabian Avilla Elizalde (México). A obra conta ainda com participação sonora de Katharina Vogt (Alemanha).

O trabalho apresenta como convidados os intérpretes: Ana Cláudia Viana, André Rosa, Jânia Santos, Marconi Araújo, Minotti Rodrigo, Omim D’Funfun, Pablo Vieira e Rozeane Oliveira.
A coreografia de Corpos Turvos foi pensada de modo a não excluir a pessoa com deficiência. Contrariamente, se constrói a partir das possibilidades de cada corpo que dança. Com a dança, a obra pede por empatia.

Todas as informações sobre os lançamentos podem ser acompanhadas pelos canais de comunicação do COLETIVO CIDA.
Site: www.coletivocida.com.br
Instagram: @coletivocida

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.