Governo deve gerar quase quatro mil empregos em três anos com chegada da Shein ao RN
Natal, RN 17 de jul 2024

Governo deve gerar quase quatro mil empregos em três anos com chegada da Shein ao RN

7 de julho de 2023
3min
Governo deve gerar quase quatro mil empregos em três anos com chegada da Shein ao RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Convidado do programa Balbúrdia desta sexta-feira (7), o secretário de Desenvolvimento Econômico do RN (Sedec), Jaime Calado, afirmou que a chegada da Shein deve aquecer o mercado de empregos no Estado. Inicialmente, serão dois mil empregos gerados. A expectativa é que o número dobre em até três anos, afirmou.

“Com essas encomendas, a gente quer no mínimo dobrar essa quantidade [de dois para quatro mil empregos]. Agora, isso não é do dia para noite. Essa meta é em três anos”, destacou.

“Eles vão contratando e estamos intensificando esses treinamentos para estender os empregos nas dez regiões do Estado e também de ampliação, porque pelo nível de qualidade que nós temos aqui, nós estamos atraindo também outras [empresas]”, disse.

Para o secretário, a chegada da varejista chinesa representa uma “esperança”.

“Para nós é uma esperança muito grande. A Shein tem mais de 600 milhões de seguidores cadastrados. É uma máquina de vender em 200 países. A novidade é que eles só se abasteciam na China, e agora vão se abastecer no Brasil, então nossas indústrias vão fabricar para o Brasil e para a América Latina”, apontou.

Calado ainda afirmou que a chegada da Shein para Macaíba deve movimentar outros setores da economia. De acordo com o titular da Sedec, o Rio Grande do Norte saiu da ressaca de empregos existente antes do governo Fátima. 

“O Estado, na área da indústria, teve uma ressaca muito grande. Nos oito anos antes do governo Fátima, nós perdemos mais de 20 mil empregos só na indústria, que já era pequena. Nós não tínhamos instrumento de incentivo, e os outros Estados tinham, então as indústrias migravam daqui ou [...] comparavam as vantagens do Estado daqui e iam para Paraíba, Ceará, Pernambuco”, disse. 

“Nosso incentivo, no caso das confecções, era redução de 62% a 75% do ICMS. Com o Proedi [Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte], dá de 90% a 95% às confecções e à indústria têxtil. Com o Proedi nós estamos recuperando mais de 5.000 empregos por ano, apesar da pandemia, com todas as dificuldades que nós temos enfrentado, mas o incentivo não foi só na indústria”, destacou.

Ex-prefeito de São Gonçalo do Amarante, ele ainda comentou a possibilidade de disputar um novo mandato no Executivo da cidade no ano que vem.

“Eu estou me dedicando profundamente para ver se as coisas acontecem, mas no ano que vem eu não vou me furtar de tomar uma posição em São Gonçalo. A gente não decide isso sozinho. Tem que ter o grupo, tem que conversar com cada um e tomar a posição que for melhor para o município”, afirmou.

Assista a entrevista completa:

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.