“Nem presa nem morta”: cinedebate na UFRN pauta a descriminalização do aborto
Natal, RN 3 de mar 2024

“Nem presa nem morta”: cinedebate na UFRN pauta a descriminalização do aborto

23 de setembro de 2023
3min
“Nem presa nem morta”: cinedebate na UFRN pauta a descriminalização do aborto

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar
Na semana Latino-Americano e Caribenho de Luta pela Descriminalização do Aborto, a UFRN vai ser sede do cinedebate: "Nem presa nem morta". O evento ocorre na próxima terça-feira (26) no auditório do Centro de Educação da UFRN, campus central. A atividade conta com a exibição do filme "Verde Esperanza - aborto legal na América Latina", dirigido por Maria Lutterbach, e a apresentação da pesquisa "O corpo é nosso", realizada pelo Intervozes - Coletivo de Comunicação Social. A discussão será realizada no momento em que a descriminalização do aborto até 12 semanas de gestação passa ser julgado no Supremo Tribunal Federal (STF). A defesa da autonomia sobre o próprio corpo e o fato de a proibição afetar especialmente mulheres negras e pobres são argumentos de movimentos pela descriminalização e ganhou o voto favorável da ministra Rosa Weber nesta sexta, quando entrou na pauta do Supremo. “É importante que a Universidade, precisando estar comprometida com as pautas de relevância para a sociedade, marque esse debate”, afirma Mônica Mourão, coordenadora do grupo GILMaR, integrante do CRDHMD e uma das participantes da mesa no debate. “A descriminalização do aborto poderia minimizar uma diferença de gênero que é muito brutal. Há uma quantidade enorme de homens no Brasil que não assumem a paternidade. Enquanto as mulheres, quando não querem ser mães, não têm essa opção, a não ser passar por uma situação insegura de aborto clandestino [...] Só com a possibilidade das mulheres também decidirem ou não ser mães é que temos um pouco mais de igualdade de gênero”, acrescenta Mourão. A mesa de discussão também contará com a participação de Verônica Ferreira, doutora em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e militante feminista na Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB), e de Rozeli Porto, professora do Departamento de Antropologia da UFRN, que representou a Associação Brasileira de Antropologia (ABA) nas audiências públicas sobre a descriminalização do aborto. As inscrições para receber um certificado de participação serão realizadas no local durante o evento, que é voltado para estudantes, servidores da UFRN e membros da sociedade civil interessados em discutir questões de direitos humanos. O cinedebate é organizado por diversas entidades, incluindo o Centro de Referência em Direitos Humanos Marcos Dionísio (CRDHMD), o Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Diversidade Sexual, Gênero e Direitos Humanos (Núcleo Tirésias), o Grupo de Investigações sobre Linguagem, Memória e Representação (GILMaR), o Grupo de Estudos e Pesquisa - Trabalho, Ética e Direitos (GEPTED), e o Grupo de Estudos e Pesquisa Questão Urbano-Rural-Ambiental, Movimentos Sociais e Serviço Social (QTEMOSS/UFRN). Para mais informações, é possível consultar o instagram do @crdh.ufrn

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.