Petrobras localiza indícios de petróleo na Margem Equatorial
Natal, RN 3 de mar 2024

Petrobras localiza indícios de petróleo na Margem Equatorial

27 de janeiro de 2024
3min
Petrobras localiza indícios de petróleo na Margem Equatorial
Navio-sonda que está perfurando o poço Pitu Oeste | Foto: Acervo Petrobras

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Petrobras informou nesta sexta-feira (26) que concluiu a perfuração do poço exploratório de Pitu Oeste, na costa do Rio Grande do Norte, dentro da Margem Equatorial. Segundo a companhia, foi identificada a presença de hidrocarboneto, porém ainda inconclusivo quanto à viabilidade econômica do achado.

O comunicado foi repassado à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O poço integra a concessão BM-POT-17, na Bacia Potiguar, e está localizado em águas profundas a 52 km da costa do Rio Grande do Norte.

A estatal ainda afirmou que vai dar continuidade à pesquisa exploratória na região e planeja para fevereiro a segunda perfuração na Bacia Potiguar, no poço Anhangá. Essa exploração será na concessão POT-M-762, a 79km da costa do RN e próximo ao poço Pitu Oeste.

A partir de estudos complementares, a companhia pretende obter mais informações geológicas da área para avaliar o potencial dos reservatórios e direcionar as próximas atividades exploratórias na área.

“A perfuração do poço exploratório em Pitu Oeste foi concluída com total segurança, dentro dos mais rigorosos protocolos de operação em águas profundas, o que reafirma que a Petrobras está preparada para realizar com total responsabilidade atividades na Margem Equatorial”, disse a companhia.

O navio-sonda responsável pela operação saiu da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, em dezembro, com destino ao RN. 

A estatal recebeu a primeira licença ambiental no final de setembro, para perfurar poços com a finalidade de pesquisa da capacidade de produção na Margem Equatorial, no segmento da Bacia Potiguar.

A permissão foi dada após a empresa cumprir os requisitos da Avaliação Pré-Operacional (APO), exigidos pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A perfuração marca o retorno da Petrobras à Margem Equatorial, que se estende do Rio Grande do Norte ao Amapá, passando pelas bacias Potiguar, Ceará, Barreirinhas, Pará-Maranhão e Foz do Amazonas.

A Margem Equatorial possui uma área de 2.200 quilômetros ao longo da costa brasileira, próxima à Linha do Equador, considerada de elevado potencial petrolífero

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.