DEMOCRACIA

Dinheiro movimentado por assessor de Flávio Bolsonaro equivale a 3 tríplex atribuídos a Lula

O volume de recursos suspeitos movimentado por Fabrício Queiroz, assessor de Flávio Bolsonaro, em três anos, conforme dados divulgados peloConselho de Controle de Atividade Financeiras (Coaf), equivale a três tríplex do Guarujá semelhantes àquele que o ex-juiz Sérgio Moro atribuiu ao ex-presidente Lula.

Segundo o Coaf, Bolsonaro movimentou aproximadamente R$ 7 milhões no período. Além do já divulgado R$ 1,2 milhão que passou pelas contas de Fabrício Queiroz entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, o órgão também rastreou outros R$ 5,8 milhões que teriam passado pela conta do ex-motorista de Flávio Bolsonaro entre 2014 e 2015.

Já o apartamento do Guarujá, avaliado em R$ 1.147.770, foi arrematado por R$ 2,2 milhões no leilão realizado em 2018.

Flavio Bolsonaro chegou a receber R$ 96 mil em 48 depósitos em espécie sequenciais de R$ 2 mil. Esse tipo de procedimento é bastante usual para disfarçar o crime de lavagem de dinheiro, segundo o próprio Sérgio Moro já defendeu no livro “Crime de Lavagem de Dinheiro”, lançado em 2010.

As novas revelações do Coaf, que agora é ligado ao ministério da Justiça, chefiado pelo ex-juiz Sérgio Moro, complicam ainda mais o discurso do senador eleito Flávio Bolsonaro, que durante a semana pediu para que o STF suspendesse as investigações contra o motorista e ex-assessor dele Fabrício Queiroz.

Mesmo sem ser investigado no processo, o filho mais velho de Jair Bolsonaro evocou o direito à foro privilegiado, uma vez que já havia tomado posse como senador eleito. O detalhe é que Flávio se dizia contra o privilégio para parlamentares até a campanha presidencial.

O ministro do STF Luiz Fux atendeu ao pedido para suspender a investigação e remeteu o caso ao relator do processo, o ministro Marco Aurélio de Mello, que decidirá em 1° de fevereiro qual é a instância judicial que dará prosseguimento às investigações do caso.

Ao contrário da narrativa que os eleitores e admiradores de Jair Bolsonaro vem defendendo, o caso não está restrito somente a um dos filhos do presidente da República.

Queiroz sempre foi um assessor muito próximo de toda a família Bolsonaro. E um dos cheques depositados por ele, no valor de R$ 24 mil, foi parar na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Em entrevista recente concedida ao SBT, Fabrício Queiroz justificou os recursos suspeitos movimentados em sua conta como sendo originários da compra e venda de automóveis usados.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

6 Comments

  1. naturally like your web-site however you have to take a look at the spelling on several of your
    posts. Several of them are rife with spelling issues and I find
    it very bothersome to tell the reality then again I will surely come again again.

  2. Right here is the right web site for everyone who
    wishes to find out about this topic. You know so much its almost tough to argue with you (not
    that I actually would want to…HaHa). You
    certainly put a new spin on a topic that’s been written about for years.
    Great stuff, just great!