Ufersa: Reitor eleito e não nomeado em 2020 volta a vencer
Natal, RN 27 de mai 2024

Ufersa: Reitor eleito e não nomeado em 2020 volta a vencer

5 de abril de 2024
5min
Ufersa: Reitor eleito e não nomeado em 2020 volta a vencer
Rodrigo Codes (reitor, à direita) e Nildo Dias (vice-reitor, à esquerda), vão administrar a Ufersa no quadriênio 2024-2028, começando a gestão a partir de 01 de setembro de 2024 | Foto: @sigaotoro

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O professor Rodrigo Codes venceu mais uma consulta para reitor da Ufersa. Com 37,1% dos votos, ele derrotou mais uma vez Ludimilla Oliveira, alçada ao cargo de reitora em 2020 pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) mesmo tendo ficado em terceiro lugar na lista tríplice.

Codes recebeu um total de 2.262 votos, sendo 1.802 dos estudantes, 191 dos técnico-administrativos e 269 dos professores — na última eleição, ele havia recebido 2.115 votos. Em segundo lugar, Ludmilla — que tenta a reeleição, recebeu mais votos: 2.570 dos alunos, 192 dos docentes e 173 dos servidores técnico-administrativos. Entretanto, o cálculo é paritário sobre os aptos a votar, sendo o peso de 1/3 para cada categoria. A eleição considera a razão entre a votação obtida pelo candidato no segmento e o quantitativo total de votos válidos do segmento. Por isso, Rodrigo Codes terminou na frente. 

Jean Berg, por sua vez — que havia sido o segundo colocado há quatro anos — terminou com 1.891 votos (257 dos docentes, 122 dos técnico-administrativos e 1.512 dos alunos).

Passada a fase da consulta, o próximo passo é a formação da lista tríplice (com Rodrigo Codes, Ludimilla Carvalho e Jean Berg Alves) que será homologada pelo Conselho Universitário (CONSUNI) da própria Ufersa. Depois, essa lista deve ser encaminhada para o Ministério da Educação, em Brasília, para nomeação. A expectativa é que o primeiro da lista seja nomeado pelo MEC.

Em conversa com a Saiba Mais, Rodrigo Codes falou sobre a expectativa de, enfim, sentar na cadeira para o qual foi eleito. 

“Essa é a expectativa. Tanto o presidente Lula como também o ministro Camilo Santana já deixaram muito claro que, independente de quem ganhasse, o primeiro ou a primeira é que serão os nomeados. E além disso, nós temos um projeto de lei que está tramitando, mas que ainda não foi aprovado completamente no Congresso Nacional que revoga a questão da lista tríplice e moderniza a legislação”, aponta.

“O nosso processo ainda terá uma lista tríplice. Então, uma vez finalizada a consulta, a gente vai ter o resultado final nos próximos dias e o nosso Conselho Universitário vai se reunir pra formar mais uma lista tríplice, que a gente espera que seja a última da nossa instituição”, diz.

Segundo o engenheiro, a campanha foi acirrada, mas propositiva por parte de sua chapa. 

“A gente está pronto para transformar a universidade com as ideias que nós propomos no nosso plano de gestão, que foi muito dialogado por mais de um ano em todos os quatro campi da universidade.” 

De acordo com Rodrigo Codes, a busca, agora, é pela excelência acadêmica e pela valorização do ensino, pesquisa e extensão.

“E também a inovação, que a gente colocou dentro da nossa campanha. Sempre mencionamos o fortalecimento da inovação para tornar inclusive um quarto pilar da universidade, além do tripé que é sempre falado, o ensino, a pesquisa e a extensão, que são as nossas atividades finalísticas. E, principalmente, o que a gente quer é se aproximar cada vez mais da sociedade e buscar contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da região. Esses são os nossos principais objetivos”, afirma.

Quem é

O professor Rodrigo Codes é graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará e em Engenharia Generalista pela Ecole Centrale de Lyon, na França; Mestrado em Engenharia e Ciência de Materiais (UFC); Doutorado em Engenharia Mecânica e de Materiais na Ecole Normale Supérieure de Cachan (ENS Cachan, França), com estágio doutoral na Norwegian University of Science and Technology (NTNU) na Noruega. Na Ufersa, é Professor Associado III do Centro de Engenharias, e docente no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais.

Na trajetória administrativa e de gestão, dentre outros cargos, esteve na Pró-Reitoria de Graduação até se afastar para o processo da consulta de 2020, foi presidente do Comitê de Graduação da Ufersa (2016 - 2020) e chefe do Departamento de Ciências Ambientais e

Tecnológicas (DCAT) por dois mandatos (2013 - 2016), além de membro do CONSUNI da Ufersa entre 2015 e 2017 e, novamente, de 2021 até o momento.

Entre os dois processos, Code mudou de vice. Saiu de cena Edcarlos Alves, entrou Nildo Dias. Nildo é formado em Agronomia pela ESAM (nome anterior da Ufersa), mestre em Engenharia Agrícola na Universidade Federal de Campina Grande e doutor em Agronomia pela USP. Em 2014, fez estágio Pós-doutoral na University of California, Riverside, nos Estados Unidos. 

Exerceu os cargos de coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo e coordenou o Programa de Pós-Graduação em Manejo de Solo e Água da Ufersa. Foi membro do Conselho Universitário de 2006 a 2008.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.