DEMOCRACIA

‘Dos governador de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão’, diz Bolsonaro em reunião

Em áudio captado durante reunião com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro atacou de forma preconceituosa o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). O diálogo ocorreu antes de entrevista coletiva no Palácio do Planalto e a voz de Bolsonaro criticando o que ele chama de “Paraíba”, em referência ao Nordeste, pode ser ouvida claramente porque o microfone estava ligado.

“Dos governador de ‘paraíba’ (sic), o pior é o do Maranhão”, disse o presidente de extrema-direta, em claro ataque aos Governadores do Nordeste e à toda região. “Não tem que ter nada com esse cara”, finaliza.

O termo “Paraíba” é utilizado por moradores de outras regiões de forma pejorativa, para atacar o Nordeste, região que conta com mais outros oito estados, cada qual com suas características; o segundo maior números de habitantes; e com o terceiro maior PIB do país.

Após saber do ataque promovido pelo presidente, o governador Flávio Dino publicou em sua conta do Twitter uma resposta sobre as relações entre o Executivo federal e governo estadual:

“Como conheço a Constituição e as leis do Brasil, irei continuar a dialogar respeitosamente com as autoridades do Governo Federal e a colaborar administrativamente no que for possível. Eu respeito os princípios da legalidade e impessoalidade (art 37 da Constituição”.

Não é a primeira vez que o presidente critíca a região nem os nordestinos. Desde a campanha, Bolsonaro já mostrava claros discursos que de não iria fazer política para a região nem se considerava presidente para o Nordeste.

Veja o vídeo:

 

Governadores do Nordeste respondem ataque

Em nota divulgada nesta sexta-feira (19), os Governadores do Nordeste se posicionaram contra a declaração feita pelo presidente.

“Nós governadores do Nordeste, em respeito à Constituição e à democracia, sempre buscamos manter produtiva relação institucional com o Governo Federal. Independentemente de normais diferenças políticas, o princípio federativo exige que os governos mantenham diálogo e convergências, a fim de que metas administrativas sejam concretizadas visando sempre melhorar a vida da população.

Recebemos com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional. Aguardamos esclarecimentos por parte da presidência da República e reiteramos nossa defesa da Federação e da democracia”.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Pesquisador e jornalista com foco em direitos humanos, política e tecnologia baseado em Natal/RN. CONTATO: pedrohtorres@outlook.com