Fábio Faria vê cenário desfavorável e desiste de pré-candidatura ao Senado
Natal, RN 18 de jun 2024

Fábio Faria vê cenário desfavorável e desiste de pré-candidatura ao Senado

22 de fevereiro de 2022
2min
Fábio Faria vê cenário desfavorável e desiste de pré-candidatura ao Senado

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O deputado federal licenciado e atualmente ministro das Comunicações Fábio Faria em uma coletiva de imprensa anunciou na tarde desta terça-feira, 22, a retirada oficial da sua pré-candidatura ao Senado Federal para apoiar a pré-candidatura do também ministro, este do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Fábio comunica o fato em um momento que especulações de políticos e jornalistas previam essa decisão. Apesar de ser um dos ministros de mais confiança do presidente Jair Bolsonaro, Fábio percebia que o cenário não parecia propício para uma candidatura ao Senado.

Primeiro porque em todas as pesquisas de intenção de voto, tanto Fábio como Rogério perdiam em larga margem para o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT). A possibilidade de Carlos firmar aliança com a governadora Fátima Bezerra, que também lidera com folga todas as pesquisas, certamente levou Fábio a refletir quanto as chances reais que teria. De quebra, Carlos teria além do apoio de Fátima, o do ex-presidente Lula, que também lidera todas as pesquisas no Rio Grande do Norte e em todo o país.

Segundo, porque Fábio seria o candidato do bolsonarismo no RN, e o presidente está com baixa avaliação no Estado, como em toda a região Nordeste. Seria um palanque delicado para Fábio, com o agravante de Bolsonaro frequentemente se referir ao Nordeste de forma pejorativa, ainda que tente se aproximar do eleitorado da região.

Terceiro, porque Fábio esbarraria na situação do pai, ex-governador Robinson Faria, que foi tornado inelegível pelo TSE, fato que seria amplamente enfocado pelos adversários na campanha. De quebra, Fábio seria associado ao desastre do último ano da gestão Robinson, que deixou quatro folhas de pagamento de servidores em atraso e também o Estado em crise fiscal.

O somatório dos fatores deve ter levado o ministro à decisão de continuar no ministério. Se Bolsonaro for reeleito, o que pelas pesquisas e a preço de hoje parece improvável, Fábio continaurá ministro pela lealdade. Se o presidente for derrotado, Fábio terá acolhida no grupo empresarial e de mídia do sogro, comunicador Silvio Santos.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.