Performance denuncia avanço do garimpo e mineração ilegais, braços da política de extermínio indígena do governo Bolsonaro
Natal, RN 17 de abr 2024

Performance denuncia avanço do garimpo e mineração ilegais, braços da política de extermínio indígena do governo Bolsonaro

11 de abril de 2022
2min
Performance denuncia avanço do garimpo e mineração ilegais, braços da política de extermínio indígena do governo Bolsonaro

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Quase 30 atores e atrizes encenaram nesta segunda-feira (11), no Acampamento Terra Livre, em Brasília, uma performance de rua em que denunciaram o avanço do garimpo e da mineração ilegais no Brasil, além da política de extermínio indígena do governo Bolsonaro. Os corpos dos artistas foram cobertos de lama e pintados com uma tinta vermelha, numa referência ao sangue da matança dos indígenas.

A performance foi idealizada e produzida pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), entidade que organiza o 18º ATL, na capital federal.

O público foi convidado a participar cobrindo o corpo com a mesma lama e tinta vermelha. Aliás, os corpos foram o meio pelo qual a mensagem chegou ao público. Na pele e em caixões que compunham o cenário, lia-se mensagens como “Garimpo Mata”, “Fora Bolsonaro”, “Ouro ilegal”, “Bozo Genocida” e “Não a PL 191”, projeto de lei que prevê a regulamentação do garimpo em territórios indígenas.

Os corpos falaram e acusaram de genocídio o governo Bolsonaro / foto: Rafael Duarte

Do espaço onde funciona o acampamento indígena, na Fundação Nacional de Cultural, a performance foi encenada também na rua durante a manifestação “Ouro de Sangue”, que ocorreu na parte da tarde, com presença de quase 5 mil indígenas, entre eles a liderança indígena Sônia Guajajara. O protesto, que caminhou até uma cerca de ferro instalada na frente do Congresso Nacional, pedia as demarcações de territórios indígenas e o arquivamento dos projetos de lei batizados de PECs da Destruição, caso do PL da Mineração e da PEC do Marco Regulatório, em análise pelo Supremo Tribunal Federal.

Na próxima quinta-feira (14), os deputados federais avaliam o PL 191/2020. A proposta representa um grave risco de vida para os indígenas.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.