Bolsonarista é preso por matar apoiador de Lula em discussão política em Mato Grosso
Natal, RN 20 de jun 2024

Bolsonarista é preso por matar apoiador de Lula em discussão política em Mato Grosso

9 de setembro de 2022
0min
Bolsonarista é preso por matar apoiador de Lula em discussão política em Mato Grosso

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Mais um crime político. Desta vez, no estado de Mato Grosso. Benedito Cardoso dos Santos, de 42 anos, que defendia o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi morto durante uma discussão política na quarta-feira (7 de setembro).

O autor confesso é Rafael Silva de Oliveira, de 24 anos, apoiador do candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL). Ele passou por audiência de custódia e a Justiça de Mato Grosso manteve a prisão preventiva.

Em depoimento, Rafael disse ter matado a golpes de faca e machado o colega de trabalho depois de uma discussão política. Conforme a polícia, o autor tentou decapitar a vítima e depois do crime ainda filmou o corpo.

O crime aconteceu em uma chácara em Agrovila, zona rural de Confresa (MT), cidade a 1.160 km da capital Cuiabá. A imprensa nacional publicou que os dois homens trabalhavam juntos no corte de lenha em uma propriedade e, na noite de 7 de setembro, discutiram sobre política.

Na decisão para a prisão preventiva, o juiz Carlos Eduardo Pinho Bezerra Mendes, da 3ª Vara de Porto Alegre do Norte, disse que "a intolerância não deve e não será admitida, sob pena de regredirmos aos tempos de barbárie”.

Ainda segundo o juiz, a sociedade brasileira se baseia em uma Estado Democrático de Direito, no qual o pluralismo político é um dos seus princípios fundamentais, isso torna ainda mais reprovável a conduta do autor do crime.

Morte de petista no Paraná

Em 9 de julho, o petista Marcelo Aloizio de Arruda, de 50 anos, foi morto a tiros pelo bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho, em Foz do Iguaçu (PR). O crime aconteceu enquanto Marcelo comemorava seu aniversário, um clube fechado.

Os dois não se conheciam, mas Guaranho entrou o carro no local gritando "Aqui é Bolsonaro" e atirou em Arruda, que morreu após ser socorrido. A Polícia Civil do Paraná concluiu inquérito dizendo que não houve motivação política para o crime e indiciou o autor por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e causar perigo comum. Em 10 de agosto, foi preso e levado para penitenciária de São José dos Pinhais.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.