Em café com mídia independente, Lula reafirma agenda ambiental, critica BC e quer debater fim da violência politica com Biden
Natal, RN 16 de jun 2024

Em café com mídia independente, Lula reafirma agenda ambiental, critica BC e quer debater fim da violência politica com Biden

8 de fevereiro de 2023
5min
Em café com mídia independente, Lula reafirma agenda ambiental, critica BC e quer debater fim da violência politica com Biden

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva recebeu em um café da manhã terça-feira (7), no Palácio do Planalto, mais de 40 comunicadores e jornalistas de mídia independente do país. A tentativa de golpe em 8 de janeiro, a politização das Forças Armadas e a violência política no Brasil e em outros países do mundo foram alguns dos temas abordados por Lula, que voltou a dizer que o combate à fome será a prioridade do governo. Nem todos os convidados puderam fazer perguntas em razão da agenda apertada do presidente, que saiu do encontro para uma reunião com funcionários da Caixa Econômica.

A agência Saiba Mais participou do evento ao lado de outras organizações, como Alma Preta, Midia Ninja, AzMina, Tutaméia, Voz das Comunidades, Blog da Cidadania, Instituto Barão de Itararé, Brasil 247, Fórum, The Intercept Brasil, TVT, Meteoro, Congresso em Foco, Headline, entre outros grupos de mídia.

Lula afirmou que, depois de 38 dias, o Governo está pronto para fazer a máquina do Estado brasileiro funcionar. E que, quando voltar de uma viagem marcada para os EUA na próxima semana, pretende se reunir com todos os ministros para saber o que cada pasta fará daqui para frente.

Agenda ambiental

O presidente também destacou o compromisso do governo com a agenda ambiental. Os primeiros 15 minutos de fala de Lula foram focados na questão climática, preservação da Amazônia e proteção aos povos indígenas. Ele afirmou que não vai permitir em hipótese alguma garimpo ou pesquisa em territórios indígenas. A situação de calamidade dos yanomamis também foi tema da conversa de Lula com os jornalistas:

- Me falaram que existem 140 pistas clandestinas em terras indígenas, 65 só no território yanomami. Não é possível que existam tantas pistas sem que o satélite tenha identificado, então alguém se fazia de cego. Agora quem menos tem culpa é quem esta lá, os culpados são quem financiam, quem paga, afirmou.

Presidente Lula destacou como prioridade o combate à fome / Foto: Ricardo Stuckert/PR

 Taxa de juros

Lula respondeu ainda questionamentos sobre a alta taxa de juros, mantida pelo Banco Central em 13,5%. A instituição é dirigida por Roberto Campos Neto, nomeado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro e que, segundo Lula, precisa ser responsabilizado pela demora na retomada do crescimento do país:

 - Não tem que ter meta só de inflação, tem que ter meta de geração de emprego e de crescimento também. Senão fica uma pessoa de uma perna só. Espero que o Haddad (ministro da Economia) esteja vendo isso e ciente do que tem que fazer. O Roberto Campos tem que se explicar para o Congresso, a culpa é do Banco Central , afirmou.

 Violência política 

A agenda nos Estados Unidos com o presidente Joe Biden está confirmada e Lula adiantou que, entre os temas do encontro, estará a Venezuela, Cuba, questão climática e a violência política:

 - Eu tenho pelo menos 50 anos de vida política, uma parte dela no movimento sindical, outra parte no PT e uma parte na governança desse pais. Eu nunca tive conhecimento e nunca tinha participado de uma campanha com tanta virulência naquilo que vocês chamam de rede social, mas que de social não tem nada. E uma rede digital em que a maioria das noticias trabalham para o mal. Ou seja, a gente volta a ter aquele ditado que nossos pais diziam: enquanto a mentira voa, a verdade engatinha. Esse e o dado concreto e objetivo. Precisamos debater esse tema da violência política. Na ultima eleição saiu fora do limite de qualquer compreensão. Esse é um assunto que quero conversar com o Biden, com o G-20, com o BRICs, temos que nos preocupar com isso. E fazer um debate na sociedade.

Cafe da manhã ocorreu no Palacio do Planalto / foto: Ricardo Stuckert/PR

Apoio à mídia independente

Ao lado do ministro-chefe da secretaria de Comunicação Paulo Pimenta e da primeira-dama Janja, ele disse que esse será o primeiro de vários encontros com profissionais da mídia contra-hegemônica brasileira e afirmou que está nos planos do atual governo uma linha de financiamento para veículos de pequeno e médio porte.

 - Essa é uma preocupação nossa. Vamos tratar com carinho especial para que as pessoas sobrevivam nesse mundo de poucos. Estamos levando a sério como vamos tratar essa questão, disse.

Pimenta informou que nos próximos dias jornalistas e comunicadores serão convidados para uma reunião de trabalho na Secom para construir, com o Governo, uma política publica de financiamento voltada para as mídias independentes.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.