Ação do MP, Força Nacional e Governo do Estado prende 13 suspeitos de integrar facção responsável por atentados no RN
Natal, RN 5 de mar 2024

Ação do MP, Força Nacional e Governo do Estado prende 13 suspeitos de integrar facção responsável por atentados no RN

22 de março de 2023
3min
Ação do MP, Força Nacional e Governo do Estado prende 13 suspeitos de integrar facção responsável por atentados no RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Uma operação conjunta entre Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar (PM), Secretaria Estadual da Administração Penitenciária (Seap) e a Força Nacional resultou na prisão de 13 suspeitos de integrar o Sindicato do Crime do RN, facção criminosa que estaria ordenando a série de ataques que vêm ocorrendo no estado desde o dia 14 de março.

Na operação Sentinela foram cumpridos 13 mandados de prisão e outros 26, de busca e apreensão, nas cidades de Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Macaíba, Canguaretama, Bom Jesus, Santo Antônio, Caiçara do Norte, Acari e Macau. Dois homens foram presos em flagrante.

Ao todo, foram decretadas 18 prisões durante a operação, porém, cinco mandados de prisão não foram cumpridos porque os alvos não foram localizados. Eles são consideradas foragidas de Justiça. A equipe que atuou na operação também apreendeu armas, drogas, aparelhos de telefonia celular, documentos e dinheiro em espécie.

A maioria dos presos na operação Sentinela já tem condenação por envolvimento com organização criminosa, tráfico de drogas, roubos e homicídios, sendo que alguns deles cumpriam pena em regime semiaberto, com uso de tornozeleiras eletrônicas.

Alguns dos presos na ação desta quarta (22) violaram o sistema de monitoramento eletrônico, coincidentemente, antes e durante ataques registrados nos últimos dias.

As investigações apontam que as pessoas presas são lideranças da organização criminosa em liberdade que exercem ou exerceram funções relevantes para a facção. Elas são investigadas por constituírem e integrarem organização criminosa, cuja pena prevista é de 3 a 8 anos de reclusão.

Caso sejam condenadas, as sentenças ainda podem ser aumentadas até a metade pelo uso de arma de fogo; agravada para as pessoas que forem identificadas como líderes sobre os demais faccionados; e ainda ampliada pela conexão com outras organizações criminosas.

Os presos na operação já foram encaminhados ao sistema prisional potiguar. O MPRN ainda apura o envolvimento de outras pessoas com os crimes cometidos nos últimos dias.

As cunhadas

Entre as 13 pessoas presas durante a operação, uma é mulher. Dentro da facção, elas são conhecidas como “cunhadas” – mulheres de integrantes da facção que também acabam por fazer parte da organização criminosa.

Balanço das ações:

168 suspeitos presos* (sendo 6 adolescentes, 17 foragidos da Justiça recapturados, 1 tornozelado preso com arma de fogo, 1 tornozelado com galão de gasolina e 1 tornozelado com grande quantidade de drogas)
42 armas de fogo apreendidas
5 simulacros de arma de fogo apreendidos
139 artefatos explosivos apreendidos
31 galões de combustíveis apreendidos
14 motos apreendidas
2 carros apreendidos
Dinheiro apreendido
Drogas apreendidas
Munições apreendidas
Produtos de furto recuperados

*Dos 168 suspeitos presos, 18 foram na "Operação Normandia" e 15 na "Operação Sentinela"

Dados atualizados às 09h44

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.