Mais de 2 mil novas famílias do RN entraram para o Bolsa Família em maio
Natal, RN 23 de jul 2024

Mais de 2 mil novas famílias do RN entraram para o Bolsa Família em maio

29 de maio de 2023
Mais de 2 mil novas famílias do RN entraram para o Bolsa Família em maio

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Apenas no mês de maio, mais 2.485 famílias passaram a integrar o Programa Bolsa Família (PBF) no Rio Grande do Norte, além daquelas que já recebiam o benefício. Ao todo, são 510.537 famílias no território potiguar que recebem uma média de R$ 672,45 por mês, o que garantiu ao RN o repasse de R$ 334.026.403,00.

No Brasil, são mais de 21 milhões (21.249.015) de famílias beneficiadas, sendo que 9,8 milhões estão na região Nordeste, o equivalente a 46% do total. São 2.572.680 famílias na Bahia, 1.672.133 em Pernambuco, 1.493.874 no Ceará, 1.236.713 no Maranhão, 695.265 na Paraíba, 625.868 no Piauí e 548.638 em Alagoas. Nas demais regiões do país, o Sudeste reúne mais de 6,3 milhões de famílias atendidas, seguido pela região Norte (2,6 milhões), Sul (1,4 milhão) e Centro-Oeste (1,1 milhão).

Convertendo em valores, os estados do Nordeste receberam em maio um investimento do governo federal R$ 6,37 bilhões no programa e pagaram, em média, R$ 664,38 aos beneficiários. Em segundo lugar vem o Sudeste, que recebeu R$ 4,25 bilhões e pagou a média de R$ 672,32. Na sequência, vem o Norte, com investimento de mais de R$ 1,7 bilhão e valor médio de R$ 688,15; o Sul que garantiu R$ 979,6 milhões, sendo R$ 685,13 em média por família; e, por fim, o Centro-Oeste, que garantiu R$ 779,9 milhões em transferências, pagando R$ 691,20, o maior benefício médio do país.

Nº de famílias beneficiadas pelo Bolsa Família no Nordeste:

Bahia: 2.572.680 famílias

Pernambuco: 1.672.133

Ceará: 1.493.874

Maranhão: 1.236.713

Paraíba: 695.265

Piauí: 625.868

Alagoas: 548.638

Rio Grande do Norte: 510.537

Sergipe: 402.510

QUEM PODE SE INSCREVER NO PBF?

  • Famílias com renda de R$ 77 por pessoa;
  • Famílias com renda entre R$ 77,01 e R$ 154,00 por pessoa e que tenham gestantes em período de amamentação, crianças de 0 a 12 anos e adolescentes até 15 anos;
  • Famílias com renda de R$ 0 a R$ 154,00 por pessoa, que tenham adolescentes de 16 a 17 anos.

COMO ME INSCREVER?

  • Vá até a prefeitura da sua cidade;
  • Procure o gestor responsável pelo Bolsa Família;
  • Preencha o formulário do CadÚnico (Cadastro para Programas Sociais do Governo Federal). Informe todos os dados sobre emprego, casamento, divórcio, nascimento, morte ou adoção corretamente. Com informações mais precisas, as chances da sua inscrição ser aprovada é maior;
  • Aguarde a triagem realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Social de Combate à Fome (MDS);
  • Retorne à prefeitura na data estipulada pelo gestor do Bolsa Família para saber se o seu cadastro foi aprovado.

DOCUMENTOS:

  1. RG;
  2. CPF;
  3. Título de Eleitor.
  4. Documentos de outros familiares:
  • Carteira de identidade
  • CPF (se a pessoa tiver)
  • Título de Eleitor (necessário para maiores de 18 anos)
  • Certidão de Nascimento
  • Certidão de Casamento
  • Carteira de Trabalho (se a pessoa tiver)
  • Carteira de Vacinação (para crianças de 0 a 6 anos)
  • Declaração escolar (se a família tiver crianças ou adolescentes)

REGRAS:

  1. Cadastrar a família no CadÚnico;
  2. Ter o cadastro da família aprovado pelo Ministério do Desenvolvimento Social de Combate à Fome (MDS);
  3. Caso a família tenha uma gestante, ela deve ir às consultas de pré-natal agendadas pelo Ministério da Saúde;
  4. Caso a família tenha uma mãe em período de amamentação, ela deve comparecer às atividades educativas realizadas pelo Ministério da Saúde que explicam sobre o aleitamento materno saudável;
  5. A família deve manter em dia o cartão de vacinação das crianças entre 0 e 7 anos;
  6. A família deve fazer o acompanhamento da saúde das mulheres entre 14 e 44 anos;
  7. A família deve garantir pelo menos 85% de frequência escolar a crianças e adolescentes de 6 a 15 anos, e pelo menos 75% a adolescentes de 16 a 17 anos.

Dúvidas: CLIQUE AQUI!

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.